Diário 16: 21/09 a 09/10 - #RumoaoAlasca no Alasca III

10/10/2017 20:51

21/09 – 26 Anos de casados

Hoje completamos 26 anos de casados.  Uma data especial para nós. Uma vida de muitos desafios, de muito aprendizado, de um amor que não desiste e que luta para fazer valer a pena cada minuto juntos.

Nosso objetivo ao planejarmos a fase III era chegar ao Alasca, e poder assistir a aurora boreal! Este seria nosso presente de aniversário de casamento. Aqui já ganhamos muitos presentes inesperados, mas assistir a aurora boreal tem gostinho de... sonho... sim, estamos vivendo um sonho! 

 

O Toninho ajudou o Claudio que ficou em casa e está fazendo um esgoto novo. Eu fiquei trabalhando nas traduções. E o dia passou rápido! Preparei almoço para os dois. Final da tarde a Thereza retornou e fomos ajudar no Food Pantry.  O Toninho e o Claudio foram lá depois nos buscar.

A noite fizemos um lanche sozinhos depois de muitos dias... comemorar nosso aniversário mais uma vez. Pois já comemoramos com o Cláudio e a Thereza no restaurante japonês!

Somos Gratos a Deus por esses 26 anos, muitas histórias, muitas lutas, muitos momentos lindos juntos, muitas conquistas. Muito amor compartilhado e muita gratidão em nosso coração. Estes, sem dúvidas são os melhores anos das nossas vidas juntos! Nunca estivemos tanto tempo juntos e uma oportunidade ímpar para nos conhecermos e para crescermos juntos.

 

22/09 – Comemos mais uma vez o famoso halibut

O dia acordou chuvoso, e aproveitamos para trabalhar nas nossas mídias sociais, diários e edição de vídeos.

O Claudio convidou o Toninho para ir com ele entregar o carro que ele vendeu, e precisava de carona de volta.

A noite o pai da Thereza, o Mike preparou halibut e nos convidou para jantar com eles. Eles são mais reservados, típicos americanos, mas com todo este tempo que estamos aqui, e com o Toninho ajudando no que pode na propriedade, para pagar o camping, isso já melhorou muito. Nos sentimos honrados pelo convite, e foi muito bom o tempo juntos.

Ao final ficamos jogando com a família da Thereza e passamos uma noite muito agradável.

 

23 a 24/09 – Conhecendo Door of Hope, uma igreja muito interessante  

O sábado passamos no carro devido ao mau tempo. Eu trabalhando em uma tradução e o Toninho em nosso vídeos e mídias.

No domingo pela manhã fomos ao culto com a Thereza, pois o Claudio teve que trabalhar, e fomos na Igreja Door of Hope. Uma igreja jovem e muito alegre, gostamos muito!

Os vizinhos da Thereza e do Cláudio, a família do Phil, são Inupiaq, ou esquimós como conhecemos, nativos do Alasca, e congregam nesta Igreja. Como teria o batismo de um dos filhos, nos convidaram. No culto, cantaram uma música em inupiaq. O batismo foi muito emocionante. O Phil batizou o filho. Coisa linda de se ver. E o louvor ficou por conta de irmãos da Igreja Lily of the Valley. Só de ouvir a voz da esposa do pastor ao ministrar o louvor, uma festa começou em meu espírito, olhei para o Toninho, ele fez sinal que estava todo arrepiado... que coisa mais linda, mais cheia de Deus, de vida! Amei!

Ao final do culto, era um domingo de convívio e todos almoçamos na igreja, ficamos por ali, conversando com o pessoal. O pastor, ao saber que éramos do Brasil veio falar conosco, e ao saber que éramos do louvor no Brasil nos pediu para ministrarmos no próximo domingo. Depois a líder do louvor da outra igreja que ministrou ali, também nos convidou para ir e ministrar com eles. Mas como não sabemos os planos de Deus deixamos para confirmar depois.

Retornamos para a casa da Thereza e aproveitamos a tarde para descansar.

25/09 – Dia de voltar a oficina

O Mike veio pegar o Toninho cedinho e foram até o local que repara o cardam para levar nosso. A previsão é de que fique pronto até na quarta ou quinta feira. O Mike, tem sido com um pai para nós, como o Cláudio está trabalhando ele nos ajuda nestas situações.

Ajudei a Thereza com as cabanas, e depois ficamos trabalhando no carro. O Toninho ainda fez vídeos da cabana para a Thereza.

A noite jantamos juntos e ficamos conversando. Como o Claudio trabalha 12 horas seguidas, dorme cedo, então ás 9 horas nos retiramos.

 

26/09 – Uma aurora boreal inesquecível

Passamos o dia trabalhando e o sol finalmente resolveu nos dar o ar da sua graça. Os dias tem disso muito cinzas em Fairbanks, isso deixa tudo com um ar triste. O sol deixa tudo lindo, com as árvores amarelas, suas folhas voando ao vento, aproveitamos para caminhar pela propriedade e tomar um sol.

Nós fomos dormir, e pelas 2:00 h da madrugada a Thereza nos acordou dizendo que tinha aurora, e saí a tempo de ver o céu em verde e rosa. Que emoção. Nos arrumamos, a Thereza levou cobertores e fomos para o meio do gramado, onde deitamos e ficamos ali, admirando aquela beleza toda. Indescritível. Estava frio. Mas o espetáculo fazia esquecer este detalhe. Foi uma noite e tanto.

 

27/09 – O reencontro com PartiuAlasca

À tarde, ligaram da Young´s Gear dizendo que o cardam estava pronto. Toninho e Cláudio foram lá buscar e passaram o resto da tarde recolocando no carro.

Final da tarde eles saíram para fazer o teste e infelizmente continua vibrando... estamos sem saber mais o que fazer... um sentimento de impotência sem fim. Decidiram voltar no dia seguinte e ver o que eles dizem e quem sabe, voltar na oficina que fez a transmissão.  Ficamos muito decepcionados. Como pode que não conseguem resolver algo tão simples?

Vimos que a aurora boreal seria nível 6 hoje e como o Gui e Jana estão na cidade os convidamos para passarem a noite ali na casa do Cláudio.

Eles chegaram a tempo de comer um taco feito com carne de peru com a gente, e depois fomos assistir a aurora, que durou muito pouco pois o céu ficou nublado. O Gui ainda conseguiu fazer um time lapse e tiramos algumas fotos. Uma frustração, pois, dava para ver as nuvens ficarem rosa de tão forte que estava a aurora e não podíamos apreciá-la... muito triste!

Fomos todos dormir na expectativa de que a noite o céu limpe e seja possível ver.

 

28 a 30/09 – Outra decepção e mais 3 dias frustrantes

Cedinho o Toninho, o Mike e o Cláudio voltaram na Young´s Gear, que fez a reparação do cardam e eles insistiram que estava tudo certo, balanceado e alinhado. Disseram que deveriam voltar na oficina que fez a transmissão.

Eles voltaram na Gabe´s e eles disseram que o problema não era a transmissão e sim o diferencial, e que custaria $1000 só para abrir e ver!? Estão ficando loucos??? O Mike e o Claudio não tiveram dúvidas, disseram ao Toninho para levar o carro de volta e o Cláudio e o Toninho abrirem o diferencial.

Arrumaram um lugar coberto, na casa da Beth e do Gerome e levaram nosso RV para lá. Passaram a tarde trabalhando, abriram tudo e não acharam nada de errado?! Imagina pagar $1000 para isso? E agora, qual o próximo passo?

Retornaram e jantamos todos juntos: Thereza e Cláudio, seus filhos, nós dois e o Gui e a Jana. Um tempo muito agradável.

O Cláudio ainda nos trouxe para nosso RV para dormirmos. Estamos em um grande galpão que é todo preparado para o frio e tem uma estufa a madeira. O local é tão bem isolado que mesmo deixando o fogo apagado a noite toda, a temperatura dentro não baixa dos 15 graus, e lá fora está fazendo 3,2 graus.

Vemos o cuidado de Deus com nossas vidas. Embora não consigamos entender o que ocorre com o carro e porque uma coisa tão simples não é descoberta, vemos que nada nos falta. Estamos um pouco apreensivos pois queríamos ter saído no dia 22/09, e a temperatura está caindo, dia a dia. Entregamos tudo isso para Deus e pedimos paz para descansar e confiar.

Passamos a noite ali, e foi bem tranquilo e a temperatura chegou a 2 graus e nem sentimos.

O Toninho passou o dia trabalhando no carro sozinho pois o Cláudio precisou ir trabalhar. Mas não descobriu nada.  O Mike ainda veio para ver se encontrava algo e nada!? Já não sabem mais o que pensar, onde procurar... tudo indica que o problema está no cardam, que foi refeito e está balanceado. Estamos buscando confiar em Deus e não desanimar.

Na sexta passamos o dia no carro. O Toninho trabalhando nele e tentando descobrir algo. Nada, tudo parece estar perfeito. Mas a vibração continua. O Cláudio ligou dizendo que depois do almoço um amigo dele viria ver o carro. Eles chegaram à tarde, ele deu uma olhada, fez uns ajustes, mas a vibração continuou. Precisou sair pois estava de plantão.  Voltamos com o Cláudio que nos emprestou o carro para irmos ao mercado comprar algumas coisas.

O Pastor Shane, da Igreja Door of Hope nos convidou para ministrar na sua igreja no domingo de manhã. Como nossas expectativas de seguir viagem foram frustradas, aceitamos. Decidimos não colocar nosso fico nisso e fazer o que nascemos para fazer: adorar a Deus, independentemente da situação.

 

01/10- Ministramos na Door of Hope

Chegamos da igreja e já nos esperavam. Ajustamos violão e voz e nos preparamos para iniciar o culto. Foi bem interessante pois um membro da igreja que sofreu um derrame, entrou de carro na igreja para assistir o culto. E ficou ali dentro do carro.

Iniciamos com uma música em português e depois cantamos uma música em inglês. Uma experiência diferente. Bem interessante. Difícil ministrar em uma língua que não é a sua e que não se domina. Mas foi muito bom ministrar novamente depois de tanto tempo.

O culto foi novamente muito especial, a palavra, os testemunhos... uma igreja bem familiar. Um lugar muito agradável para se congregar. O Phil, o Inupiaq que batizou o filho no domingo anterior, compartilhou uma palavra e trouxe banha de baleia para a igreja experimentar. Isso é como bala para os inupiaq, a delícia das delícias, um banquete de energia. Mas confesso que comi para viver a experiência que ele estava compartilhando, mas é horrível e precisei um esforço sobre humano para não vomitar ali mesmo na igreja. O Toninho não conseguiu provar.

 Ao final teve ceia e algo incrível aconteceu: um jovem chamado Daniel foi a frente ministrar a ceia e compartilhou uma palavra sobre paixão, e usou como exemplo sua paixão por veículos e mecânica. Na hora, a Thereza olhou para o Toninho, como quem diz: ”eis nosso homem!”.

Ao final do culto, um grupo se reuniu e nos chamou para orar por nós. Foi um tempo muito precioso onde ministraram paz, descanso, que não precisávamos temer, oraram para que nossos problemas fossem resolvidos, que Deus mostrasse sua vontade... Um tempo muito especial.

Depois conversamos com o Daniel e sua esposa Janette, que prontamente se prontificou a ir ao nosso RV e ver o que acontecia. Resultado, eles almoçaram conosco, ele e sua esposa Janette, e passaram a tarde mexendo no RV, tentando identificar o problema. Não identificou nada a não ser o mesmo que identificamos: algo estava errado com esse cardam. Saiu final da tarde prometendo retornar no dia seguinte.

Voltamos para a casa da Thereza para devolver o carro para o Cláudio e eles nos chamaram para jantar e depois nos levaram de volta. Um dia e tanto! Cheio de momentos inesperados e bons. Deitamos agradecidos a Deus por tudo.

 

02 a 04/10 – 3 longos dias de espera e expectativa...

Depois de uma noite difícil, onde fomos acordados no meio da noite, cremos que Deus nos mostrou porque está nos segurando por aqui e nos mostrou que deveríamos ministrar uma pessoa aqui no Alaska. Acordamos e conversamos sobre isso e entramos em contato para vermos quando poderíamos fazer isso. Marcado, agora é só nos prepararmos e esperar. Pelo menos entendemos que o nosso foco estava errado e sabíamos que deus nos mostraria o problema com nosso carro no momento certo.

Ficamos na expectativa se o Daniel conseguiria encontrar as peças para o carro. Ele retornou meio dia dizendo que queria fazer mais uns testes, e saiu com nosso cardam para levar de volta a Young´s Gear, para ajustar. Segundo ele não está balanceado. Levou a peça não balanceada e retornou uns 40 minutos depois para buscar as outras peças, pois pediram todas. Preparei um lanche para ele e ele pareceu bem grato por isso. Ficou de retornar à noite com o cardam caso ficasse pronto.

A noite retornou meio desapontado pois não deixaram o cardam pronto, e viajou 30 minutos só para nos explicar isso! Ficamos impressionados com a boa vontade dele em resolver o problema, e a frustração em não poder fazer nada mais. Nós somos gratos a Deus que colocou esse rapaz em nosso caminho. Vamos ter que esperar mais um dia, mas tudo bem, agora já sabemos o que temos que fazer.

No dia seguinte a Janette, sua esposa foi a oficina buscar o cardam e eles disseram que não tinha problemas, deram ainda instruções para montagem e nos avisou que o Daniel virá somente a noite pois teve que sair da cidade á trabalho.

Eu saí com a Anna, que está morando na casa da Beth, onde estamos acampados, e fomos ao banco, mercado, e mais alguns lugares. Um tempo muito agradável onde pude saber um pouco mais de sua vida. Ela tem dois meninos (3 e 1 ano) e está grávida. Seu esposo está em uma ilha próximo a Juneau fazendo treinamento para policial e retorna somente em dezembro. A Beth cedeu a casa para ela ficar com os meninos até a volta do marido, já que ela e o esposo estão viajando pelos Estados Unidos no inverno e voltam somente em março. Uma mulher doce e com uma paciência incrível com os meninos. Lindo de se ver. Foi um tempo muito agradável.

O Daniel retornou somente próximo das 21 horas e a Janette veio junto. Eu tinha preparado uma janta e eles jantaram conosco. Depois ele instalou o cardam e o resultado foi frustrante... nada mudou... Daniel pareceu inconformado... oramos juntos e ele disse que iria tentar a ajuda de um amigo mecânico para tentar descobrir o que está acontecendo. Saíram e podíamos ver o desapontamento no semblante do Daniel.

Nos dois oramos juntos e colocamos tudo isso diante de Deus. Fomos dormir.

Teríamos mais um longo dia de espera pela frente. Aproveitamos para trabalhar na internet, nos vídeos e lavar roupas.

A noite chegou o Cláudio e depois o Daniel e ficaram mais de duas horas tentando definir ou descobrir o problema. Ele trouxe outras coisas e ficaram tentando resolver o problema da vibração. Chegamos a cogitar seguir assim, mas o Daniel não nos aconselhou, pois mal conseguíamos passar de 25 mh, e saiu dizendo que consultaria outras pessoas e voltaria no dia seguinte.

Tivemos ainda um tempo muito especial nós dois e Deus. Um tempo de oração, louvor, fizemos a ceia juntos e conversamos e compartilhamos nossas dúvidas e sentimentos com Ele. Um dia muito bom. Interessante, em meio a tanta indefinição, a paz que Deus coloca em nossos corações.

Precisávamos deixar o Alaska, cada dia sem solução nos deixa cada vez mais no limite para sairmos. Isso deveria nos deixar preocupados, em pânico, mas confiamos que Deus tem tudo em Seu absoluto controle, em Suas mãos. Isso nos dá paz.

 

05/10 – Um dia especial

Nos encontramos com a pessoa que Deus nos mostrou, ministrando sua vida. E foi um tempo de mover de Deus. Ficou muito claro porque Deus queria que estivéssemos ali. Queremos crer que Deus vai completar a obra que Ele começou e nós sabemos que estamos prontos para seguir. Agora é só esperar Deus mostrar quando.

Nós ficamos na expectativa do que Daniel faria hoje. Ele nos disse que consultou mais algumas pessoas que disseram que o problema pode ser o pinhão, ele decidiu trocar os rolamentos. Ele decidiu abrir de novo o diferencial e verificar.  

Ele chegou todo animado ás 19 h com os rolamentos do diferencial. O Cláudio chegou logo em seguida para ajudar. Trabalharam os 3 por mais de uma hora para soltar o tanque de combustível para poder remover o diferencial. Quando o Daniel foi pegar os rolamentos para trocar percebeu que o tamanho era diferente! Ficou tão frustrado, tão desapontado... dava dó de ver o semblante dele de frustração! Como pode o mesmo código e tamanhos diferentes? Ele estava inconformado.

Falei para ele que não tinha problema, que estávamos em paz e que ele deveria ficar em paz pois sabíamos que estava fazendo o que podia. Mas ele expressou que o inverno está chegando e nós precisamos ficar prontos para partir! Mas, enfim, não tinha o que fazer.  Ele levou as peças e nosso diferencial junto. Falou que montaria na sua oficina no dia seguinte e voltaria a tarde para concluir. Ele disse ainda que falaria com o chefe e pediria dispensa na tarde seguinte.

Fiz uma janta e tivemos ainda um tempo de oração. Colocamos nossas vidas na presença de Deus e fomos dormir. Nosso coração está em paz. Sabemos que Deus está o controle e cremos que vai dar tudo certo.

 

06/10 – Cada vez que nossa fé é provada, crescemos

Saí novamente com a Anna. Ela precisava ir ao Banco e ao mercado e com duas crianças pequenas esta tarefa pode ser um pouco complicada. Resolvi ir junto, assim me distraio e conversamos. Ela me pagou um café, pois disse que tinha recebido o cheque de pagamentos de royalties do governo.  E comprou cookies para cada uma das crianças e um café para ela.

Isso foi algo interessante de saber: Todos os cidadãos do Alasca, nesta época ganham um cheque referente lucros da extração de petróleo na região.  Com isso eles podem se preparar para o inverno, comprar combustível – usado para aquecimento nas casas – madeira...   todos os membros da família ganham.

Retornamos depois do almoço e umas 15 h o Daniel chegou com o diferencial todo montado com os rolamentos novos já, tudo ajustado. Só para colocar. Logo chegou o Cláudio e a Theresa. Eu e Theresa saímos para ir ao mercado e depois caminhar e conversar. Eles trabalharam três horas montado e fechando tudo. E, na hora de testar, a vibração continuava a mesma. 

Revisaram o cardam, os eixos, pneus, a montagem do diferencial... tudo certo... e tudo do mesmo jeito. O Daniel não tinha mais o que olhar. Ele resolveu que iria construir o cardam feito para Young´s Gear novamente. Eles tinham usado um cardam usado e cortado no tamanho para nosso carro e ele não estava muito contente com isso.

O Toninho, já exausto com tudo isso, disse que não sabia se queria que ele fizesse, já gastamos, só tentando resolver este problema, mais de $1700, fora o que teríamos que pagar agora por todo este trabalho no diferencial (que a Gabes queria $1000 só para abrir – imagina só, para não ter problema algum), as peças todas que o Daniel já trocou... ele perguntou ao Daniel quanto devíamos para ele, e ele disse que não devíamos nada... O Toninho não se controlou, começou a chorar (o que não é difícil para ele) como criança e se jogou de joelhos no chão... e daí foi o Daniel junto com ele, e o Cláudio sentou com eles também...

O Daniel disse que não era para ele se preocupar que Deus estava no comando, para confiar nEle. Oraram juntos e o Daniel saiu dizendo que falaria com o irmão dele que trabalha só identificando vibrações em helicópteros e que voltaria no domingo e retiraria o cardam para refazer.

O Toninho e o Cláudio ficaram e entraram debaixo do carro para medir o cardam para tentar achar um usado e o Toninho viu um pedaço de uma cruzeta (peça do cardam) no chão. Perguntou para o Cláudio e resolveram falar com o Daniel a respeito que disse que viria no domingo ver.

Fomos com o Cláudio e a Theresa para a casa deles. Tomamos um banho e saímos com eles para jantar. Eles nos levaram em um restaurante Tailandês. Ótima comida e companhia. Eles são mesmo especiais. Estão todo o tempo tentando cuidar de nós. Disseram que também receberam o cheque do governo e que pagariam para nós. Seria uma comemoração.

07/10 – Um dia diferente

Acordamos e partimos para a casa do Cláudio e da Thereza. Os dois iriam tentar achar um cardam usado e comprar outra cruzeta, para tentar trocar o que viram que estava com problemas. Mas estava tudo fechado e desistiram.

A tarde fomos todos ao Village Value, um local onde compram roupas usadas, para procurar botas para o inverno para as crianças. Compras feitas retornamos para a casa deles.

Final da tarde teria um período de louvor e adoração na Igreja da Thereza onde qualquer pessoa que tocasse ou cantasse poderia participar. Fomos todos para lá. O Toninho tocou violão e o Cláudio carron e bateria. Foi um tempo especial.

Retornamos para o carro, jantamos e tivemos um tempo de oração e fomos dormir. Amanhã planejamos ir a Door of Hope.

08/10 – Dia de celebração

Acordamos cedo, e nos preparamos para ir ao culto. Fomos buscar o Cláudio que iria conosco (a Theresa iria na sua Igreja) e partimos nós o Cláudio e o Lucas para lá. O culto foi muito especial. E o Pastor, ao nos ver, fez uma cada de espanto. E todos nos perguntavam se iríamos passar o inverno aqui. Foi engraçado. Falamos que pode parecer que estamos atrasados, mas que Deus nunca se atrasa e tem tudo em Seu controle.

No final do culto, antes de sairmos eles oraram mais uma vez pelo Daniel, para conseguir resolver o nosso problema, e por nós, para podermos partir.

O Daniel e a Janette nos convidaram para ir na casa da irmã dela a Jennifer e do Ben (que é tecladista na Igreja) eles têm 4 filhos, e um deles está de aniversário. Almoçamos e passamos a tarde com eles, jogamos, comemos bolo, café, uma delícia. Perto das 5 h eles nos levaram de volta. O Daniel ia tirar o Cardam, e eles seguiriam para um compromisso com amigos. Ele retornaria na segunda à noite com o cardam refeito. Nós duas fomos tomar um café com a Anna e os deixamos trabalhando.

O Toninho lhe mostrou a cruzeta que estava com a ponta de engraxe quebrada e ele resolveu desmontar o cardam e colocar ela invertida, e pediu para o Toninho ligar e testar.  Quando o Toninho fez isso, o Daniel começou a pular que nem um louco e gritar, louvar a Deus, muito feliz! Funcionou! Incrível! Parece que o problema foi que a Young´s Gear montou uma cruzeta invertida ao refazer o cardam. E como o balanceamento deu certo não perceberam. Checaram as demais cruzetas para ver se estavam todas na mesma posição e saíram para fazer um teste.

Eu estranhei a demora e disse para elas que iria ver o que estava acontecendo. Cheguei lá e não vi o carro. Logo eles chegaram sorrindo e já percebemos que tinha funcionado. Foi muito precioso! Nos ajoelhamos os 5 na sala e começamos a louvar a Deus por tudo, pelo tempo passado aqui, pelo conserto, pela vida do Daniel e Janette, pela vida do Cláudio e da Theresa, pela vida da Beth e do Gerome, que nos cedeu a garagem aquecida e nos permitiu passar 2 semanas ali... Nos abraçamos e tiramos foto juntos e eles partiram (atrasados) para seu compromisso.

Nós ficamos como quem sonha. Começamos a arrumar as coisas, lavar roupas e ajeitar tudo para sairmos bem cedo. Avisamos o Cláudio e a Theresa que vieram se despedir e nos mostraram um vídeo das crianças dando tchau para a gente, tão queridos. Vamos sentir muita falta deste casal tão especial que conhecemos aqui. Eu, particularmente, vou sentir muita falta da Theresa, mais que uma amiga, ela se tornou uma irmã. Juntas, oramos, choramos, conversamos e suportamos uma a outra por quase 3 meses. Nos despedimos deles, oramos juntos, tiramos fotos e eles partiram.

Jantamos e mais uma vez nós dois oramos agradecendo a Deus pelo tempo no Alasca e entregando este novo tempo que inicia amanhã nas mãos de Deus.