Diário do Chile (25/05 a 24/06/2014)

26/05/2014 16:57

Trajeto: Hijuelas - Viña del Mar - Los Vilos - Coquimbo - La Serena - Vallenar - Copiapó - Chañaral - Taltal - Antofagasta - San Pedro de Atacama - Calama - Iquique - Arica.

 

Dia 25

Leia mais sobre este dia em Diário da Argentina.

...Chegamos ao Posto Copec de Hijuelas ás 21:30h! Lugar ótimo, estrutura ótima, recepção também! Jantamos, e fomos dormir vencidos pelo cansaço!!!

Fechamos a segunda semana com um dia memorável! Sentimos que as palavras e fotos não podem expressar o que sentimos ou o que se passou conosco em todo este dia!!! Deus sempre nos surpreendendo.

 

Dia 26

Acordamos mais tarde, tomamos um bom banho nas duchas do posto, tomamos um café com ovos, suco... uma delicia! Fomos atualizar as informações na internet. Eu fiz isso até as 17 h e o Toninho fez amizade com os funcionários do Copec e conseguiu água e energia, lavou carro, limpou dentro! Quando terminei as atualizações na internet, voltei ao carro e encontrei tudo limpo!!! Fizemos um lanche e resolvemos ficar até o dia seguinte.

Ficamos conversando sobre o que estamos vivendo, os contrastes, e como algumas coisas são difíceis, como por exemplo, a adaptação com o espaço, ficarmos quietos, sem fazer "nada", administrar a ansiedade...

Ele compartilhou que mais uma vez  Deus nos deu mostras de que está nos guardando! Por curiosidade,  resolveu abrir o filtro do carro e, dentro dele, ao lado da entrada para o motor, os mecânicos esqueceram um parafuso enorme!!!

Descobriu que a água do radiador estava seca! Enfim, ficamos gratos por Deus ter nos guardado e tivemos um tempo para louvá-lo por seu cuidado!

Fizemos um roteiro para os próximos dias, planejando encontrar o casal do Viajantes da Terra.

Fomos fazer um lanche, conversamos um pouco com o pessoal pelo face, whatsapp e fomos dormir! 

 

Dia 27 ( Viña del Mar a Coquimbo)

Acordamos cedo! Arrumamos tudo e saímos, planejando tomar café em outro lugar! Estava escuro ainda! 

Paramos quando o sol começou a nascer e ficamos assistindo. 

Continuamos pela Ruta 5 em direção a Valparaiso e Viña del Mar! Entramos na Ruta del Mar e fomos conhecendo as praias e sempre com o visual do Pacífico  a nossa esquerda!

A visão de Viña del Mar nos assustou! Uma cidade grande, movimentada! Esperávamos uma cidade pequena e praiana! 

Fomos até a Costanera, avenida que beira o mar,  e estacionamos. Preparamos um café e ficamos ali, contemplando o oceano pacífico, as gaivotas... A cidade toda estava com uma névoa, mas a cor do mar, é de um azul indescritível!  

Seguimos pela Costanera até Valpaiso, que é uma cidade portuaria, cidade movimentada, com casinhas coloridas penduradas nos morros, até perder de vista!  Com muitas universidades! Existem áreas só de universidades e ficamos impressionados com a estrutura!

Voltamos em direção á Viña del Mar, e o visual muda completamente, com prédios enormes, revelando ser uma área rica. O Toninho comparou Valparaiso com Itajai e Viña del Mar com Balneário de Camboriú! 

Mas foi emocionante ver o pacífico! As aves, pelicanos, gaivotas, lobos marinhos ( que a gente só viu nas fotos tamanha era a quantidade de informações visuais que precisávamos processar)!

Paramos em Puchuncavi para almoçarmos em um Restaurante muito simpático! Comemos arroz quente, merluza ao forno com legumes, salada e flan de sobremesa! Estava tudo delicioso! Continuamos nesta rota até Maitencillo onde retornamos para a Ruta 5!

Fomos a Los Vilos, um balneário mais simples, onde fomos ao mercado! Ali o Toninho sentiu um mal estar, caminhando pela cidade. Procuramos um lugar para ficar, mas como não achamos, resolvemos seguir! 

Valeu a pena porque passamos pelos parques eólicos ao por do sol e o visual é maravilhoso! 

 

Terminamos o dia com a música da manhã! 

"Do nascer do sol ao entardecer, 

Tu me ensinas a Te engrandecer

Quero agradar ter coração

E glorificar Teu Nome!

Teu Nome é refúgio e fortaleza

Teu Nome é alegria na tristeza

Teu Nome, que toda terra reconheça

Que sobre todo nome está, Teu Nome" (Paul Baloche) 

 

Achamos um camping na entrada de Coquimbo, entrando uns 2 km em estrada de chão, mas os admistradores não estavam e o hotel tinha termas o que levava os preços para as alturas. Voltamos a Ruta 5 e ficamos no Posto Copec!

Tomamos uma ducha quente, a $500 pesos chilenos, fizemos um lanche, baixamos as fotos e fomos dormir, com nosso coração transbordando ainda de tudo que vimos durante o dia!

God is so good!

 

Dia 28 (Coquimbo a La Serena)

O dia amanheceu bem nublado. Acordamos as 8h, tomamos café, meditamos, arrumamos tudo, saímos! Passamos por Coquimbo, La Serena. Paramos na MallPlaza, um centro comercial e fomos dar uma volta nas lojas, a procura de um pijama quente para o Toninho! Compramos meias mais longas, fomos  ao supermercado Jumbo procurar bandeira do chile e não achamos! 

Almoçamos ali, compramos água e algumas coisas mais, e fomos adiante! 

Pensamos em ir a um observatório, mas o tempo estava bem fechado, nublado e não podíamos ver nada! Seguimos viagem em direção ao norte! 

Já estamos na região do Atacama e é possivel observar a mudança radical da paisagem! Deserto, seco, rodamos Kms sem nenhuma vila habitada, e com a companhia de viajantes, muitos caminhoneiros e o pessoal que trabalha nas obras de duplicação!

Uma estrada muito boa, sem buracos, graças a ausência de chuvas! Bem conservada!

Comentamos sobre como é impressionante num lugar aparentemente inóspito, rodarmos mais de 200km com obras em pleno vapor para duplicar. 

Há uns 50km de La Serena, passamos outro parque eólico, e a entrada do Observatório Las Campanas, entramos e descobrimos que só é aberto nos sábados de manhã!??? Não entendemos muito bem, mas enfim. 

Resolvemos parar um parador próximo ao observatório e dormir ali na esperança de que pudéssemos ver algo a noite! Afinal estamos em um dos lugares com o céu mais limpo do mundo! 

Foi muito legal a recepção do pessoal querendo saber o que fazemos aqui com o mundial acontecendo lá!  Nos deram energia, água! Comemos ovos com pão quentinho que elas tinham acabado de assar, queijo branco e chá! Delicioso!

Nos instalamos, baixamos e revemos as fotos e vídeos! Foi especial!

As 22 h saímos para ver as estrelas, mas não vimos nada, estava fechado...

Como a previsão era de tempo fechado, pensamos que, talvez na volta poderemos ver este espetáculo! 

 

Dia 29 (La Serena a Taltal)

Acordamos as 7h com o dia clareando e o barulho dos caminhões seguindo viagem! 

Uma noite maravilhosa de sono! Com um clima mais ameno; fez uns 10 graus a noite! O dia amanheceu bem nublado, e com a previsão de tempo fechado nos próximos dias, levantamos e seguimos.

Nós pretendemos ir hoje até Taltal! São quase 500km, passando por Vallenar, Copiapó.

Um terreno árido, obras de duplicação ainda até Vallenar. Depois de Vallenar, já está tudo duplicado!  Muitas montanhas de diversas cores! Lindo!Capital regional do Atacama, é uma região de riquezas minerais!

Entramos em Copiapó, uma cidade pequena, com várias empresas na entrada. Conhecida como a primeira cidade a ter um trem para transporte de minérios, para Caldeira, a uma cidade a 74 km onde tem o porto de Calderas.

Fomos a praça central onde tinha uma feira onde vendiam de tudo! 

Saindo de Copiapó, a paisagem muda novamente, montanhas com verdes, vinhedos, plantações de romãs, oliveiras... 

Para uma região arenosa. Paramos em Calderas para abastecer e seguimos. A Ruta deixou de ser duplicada e entramos num deserto de pedras. Passamos por um zoológico de pedras, e a cada km o terreno foi ficando mais pedregoso! 

Então, a Ruta segue por mais de 100km com o pacífico a esquerda e este terreno árido, com montanhas enormes a direita, chamada de Ruta del Desierto, Circuito Costero! Passando por diversos pequenos vilarejos!

Paramos em Chañaral, e até procuramos um lugar para ficar, mas tinha somente no Pan de Azúcar e a estrada era de chão, por mais de 20 km, e não nos deram certeza de ter pessoas no local.

Resolvemos seguir para Taltal, que fica há 100 km. E valeu a pena pois a paisagem dessas montanhas ao final de tarde é um espetáculo único!!! Por do sol maravilhoso!

Difícil absorver tanta beleza!!!

Entramos na região de Antofagasta as 17:55h, muita emoção!

As 19h chagamos a Taltal e já estava escuro. Fomos até o Posto Copec, mas estava lotado e era pequeno demais!  Fomos dar uma volta na cidade e encontramos los carabineiros ( policiais) e perguntamos onde poderíamos dormir. Nos disseram para ficar na praça central! Um lugar bem simpático e com movimento até tarde! 

Neste dia dormimos sem banho! Não conseguimos água para abastecer o carro! Fiz janta e fomos dormir! 

 

Dia 30 (Taltal a Antofagasta)

Acordamos as 7h com os garis limpando a cidade! Taltal durante o dia se mostrou uma cidade limpa, aconchegante e com uma vista do oceano pacífico incrível! Água aqui é rara e muito valorizada, mas toda a cidade tem árvores que um caminhão pipa passa regano, uma a uma! 

Saímos da praça e fomos tomar café na praia, com a vista para o pacífico, olhando as pelicanos, lobos marinhos, albatroz e gaivotas fazerem sua refeição matinal, ora alimentados pelos pescadores ou em mergulhos em busca de alimento!

Ficamos ali até as 10h30min, contemplando, compartilhando, orando...

Resolvemos voltar á Ruta, subimos uma serra de 800 metros em 20 km, com muitas curvas em meio a montanhas!

A uns 180 km de Antofagasta, avistamos a Cordilheira de Domeyko! Uma visão que enche os olhos! Começou a ventar bastante dificultando a direção!

No Km 1320, avistamos um monumento chamado Mano Del Desierto.

Entramos para tirar fotos! Logo em seguida chegou o Casal Cristian e Margarita, de Santiago. Ele tem um caminhão e estava viajando com carga da Coca cola! Já tínhamos passado por eles algumas vezes, e eles sempre nos passavam quando parávamos para tirar fotos!

Deixaram o caminhão na Ruta e vieram a pé até o monumento!

Conversamos, tiramos fotos juntos, demos carona de volta e eles nos convidaram para quando retornarmos, passar na casa deles! Cristian disse: Se passarem em Santiago em Dezembro venham passar o natal em nossa casa!

Paramos mais a frente e tiramos algumas fotos, eram 12h e estávamos a 1650 mt de altitude!

Chegamos em Antofagasta as 14h15min, em meio a montanhas gigantescas, e descemos novamenete ao nível do mar!

Antofagasta foi uma surpresa pra nós! Uma cidade grande de trânsito intenso! Com um porto enorme e muito bonita! Passamos pela costaneira e encontramos um mar agitado! Descobrimos que só há uma praia própria para banho devido as formações rochosas do local!

Fomos a La Portada de Antofagasta e assistimos um por do sol incrível!

Procuramos alguns camping's e todos tinham uma vista linda mas ou estavam fechados ou não tinham nenhuma estrutura! Uma pena!

Voltamos ao centro e resolvemos procurar um Copec Pronto e passar a noite! Nos deram água. Lanchamos atualizamos os dados, tomamos banho, depois de dois dias, e fomos dormir!

 

Dia 31 (Antofagasta a San Pedro de Atacama)

O dia 31 amanheceu frio e pouco nublado, mas levantamos as 7h, o Toninho foi ao posto e comprou pão quentinho, tomamos café, fomos ao mercado comprar água  e seguimos para San Pedro de Atacama.

Previsão de chegada as 15h. Queríamos chegar cedo para encontrar o Waldeck e a Débora do Viajantes da Terra

As 11h passamos pela linha do Tropico de Capricórnio, e as 12:30h chegamos em Sierra Gorda, uma pequena vila de 34 anos em meio ao deserto. 

Paramos na praça central para almoçar e conhecemos o Maximiliano, um menino muito simpático que amou conhecer brasileiros!! (Rsrs)

O Toninho conversou com uma senhora que molhava os jardins da praça e ela nos cedeu água! 

O trajeto dali a San Pedro de Atacama foi indescritível! A visão dos inúmeros vulcões e dos salares, são de tirar o fôlego! Paramos, tiramos fotos, choramos, nos abraçamos e ficamos ali ainda não acreditando em tudo que estamos vivendo!

Entramos em San Pedro e fomos ao Camping Los Abuellos! indicação do Waldeck, que estaria ali!

Ao chegarmos ele não estava! Perguntamos deles e um rapaz nos disse que não os viu! Questionamos de outro camping com o mesmo nome e ele nos informou que tinha outro no lado sul da cidade. Ele disse não saber e saímos para encontrá-los.

Na saída, em uma esquina o Toninho errou o caminho, mas seguiu em frente e ao dobrarmos a curva vimos a kombinet do Waldeck e Débora.

Estavam naquele lugar, por que foram para a Bolívia e quando voltaram, o camping estava lotado, por ser final de semana!

Foi demais! Nunca os vimos, mas nos abraçamos e tomamos um café juntos! E descobrimos muitas coisas em comum! Conversamos até mais de 22h. 

Fomos passear pela cidade ao final de tarde e comer uma pizza juntos! Um tempo tão especial! Tantas coisas compartilhadas! Foi demais!

Ficamos ali com eles! Oramos agradecendo a Deus pelo presente! Fomos dormir.

 

Dia 01/06

Acordamos as 8h30h, aqui faz muito frio a noite (temperaturas variam entre -2 a 22graus durante o dia). Levantamos e fizemos um café juntos, tomamos café no sol e ficamos compartilhando até as 11h. 

Fomos ao posto, paramos numa feira e compramos umas frutas e conversamos com Diego, um espanhol que está morando aqui. Convidamos ele para jantar conosco no camping mais tarde!

Resolvemos ir ao Vale de la Luna juntos! Foi uma passeio cheio de caminhadas e de paisagens espetaculares! O vale se encontra na cordilheira de sal e as margens do salar de Atacama e está entre a Cordilheira dos Andes e a Cordilehira Domeyko!

Visitamos as Cavernas, os Canions e paramos aos pés da Duna Mayor para fazer um lanche! Montamos mesa, abrimos o toldo e lanchamos ali com aquele visual! 

Recolhemos tudo e subimos a duna, outro lugar lindo, onde se pode ver muitos vulcões, e os salares! Descemos e seguimos até as três Marias, umas formações rochosas que tem mais de um milhão de anos!

Ali encontramos com Fernando e Talita, um casal de Curitiba, que veio de avião passar uns dias em San Pedro. Conversamos um pouco e retornamos!

Seguimos e as extensões de areia salpicadas da cor branca do sal,  nos dão a sensação de estar na superfície da lua! Ali ficamos contemplando a paisagem! Compartilhando juntos da palavra, foi maravilhoso! O Waldeck leu Mateus 5 e compartilhamos de como nos preocupamos com tantas coisas, e de como Deus espera que sejamos dependentes dele! 

Ali conhecemos Nick um australiano que está viajando de moto há 5 anos! Conversamos com ele um pouco e descemos!

Retornamos e fomos ao camping nos instalar. Um lugar aconchegante, com ótima estrutura e banhos bem quentes! 

A Débora fez uma canja e ajeitamos tudo para a janta! O Diego Albizu chegou trazendo um vinho, e como o refeitório fecha as 8h no domingo, comemos todos juntos na Master! 

Foi um tempo especial! Oramos, jantamos, rimos, compartilhamos, Diego falou um pouco de sua história! E deu sinais de que gostou de estar conosco!

Fomos dormir as 23h cansados do dia puxado, mas felizes por tantos momentos preciosos!

 

Dia 02/06 

Acordamos, novamente muito frio! A temperatura começa a ficar agradável somente perto de 10h da manhã, até lá e muito gelado! 

Tomamos café nos quatro na Master, e juntos oramos, compartilhamos e conversamos sobre o que faríamos em seguida.

Eles precisavam partir e nós estávamos divididos entre seguir com eles para o Peru ou ficar mais uns dias.

Resolvemos ficar e eles arrumaram as coisas e partiram! Foi muito difícil a despedida! Foram dois dias, mas tínhamos a impressão de que já nos conhecíamos há séculos!

Nós ficamos no refeitório baixando umas fotos e atualizamos algumas informações no face e resolvemos dar uma volta pela cidade, comer em algum restaurante daqui, e ver os passeios que poderíamos fazer!

Comemos no restaurante Barros,  um lugar muito aconchegante, com uma comida deliciosa, um ótimo preço e atendimento. Depois fomos comprar o passeio e resolvemos fazer o tour astronômico a noite e visitar as Lagunas Antiplânicas no dia seguinte.

Voltamos as camping, descansamos, e as 19:30 h saímos para o passeio!

Fomos em uma topic á um observatório aqui em San Pedro! Tivemos uma palestra antes, muito interessante! Mas o guia se empolgou com o grande grupo de americanos e europeu e começou a falar inglês muito rápido! Então pendemos boa parte das informações!

Mas o céu estava lindo e realmente as estrelas parecem estar ao alcance das mãos!

Foi muito especial! Principalmente poder refletir sobre a grandiosidade da criação de Deus!

Voltamos comentando sobre isso! O contraste da imensidão do universo com a nossa insignificância! 

Voltamos, agradecendo a Deus, na verdade nós não cansamos de agradecer por podermos estar vivendo este momento, e fomos dormir!

 

Dia 03

O relógio despertou 5:30h e estava gelado! Tínhamos que estar prontos as 6h pois um carro da agência viriam nos buscar! As 6:30h ele chegou e fomos com mais um casal de argentinos para o passeio!

Nosso guia chama-se Mario! Vindo de Santiago, ele vinha a San Pedro trabalhar nas temporadas, mas desde janeiro se mudou para San Pedro!

Fomos primeiro a Laguna Chaxa, uma reservas e Flamingos, muito, muito gelado!

Os banheiros não tinham água, que estava congelada. Segundo José, o guia local estava fazendo -4 graus, mas a sensação era muito menor!

Mas o visual é incrível! Todos aqueles flamingos, as lagos refletindo os vulcões e as montanhas...

Passamos pelos "senderos" caminhos próprios para andarmos pela reserva, e retornamos, para um desayuno que o Mario preparou para nós e seguimos para a próxima parada. Foram 100km dirigindo, e depois subimos em 32 km de 2200mt para 3280mt.

O caminho nos apresentou paisagens fantásticas! Os vulcões ao amanhecer apresentam sobre eles uma nuvem colorida, que as fotos não reproduzem!

São 150 vulcões só nesta região! Fotografamos o Laskar que está em atividade, e passamos por diversos outros!

Quando estávamos a 3900mt de altitude o Mario parou o carro para outro carro passar e o Toninho ficou mal! 

De repente, não conseguia respirar, por causa da altitude e tivemos que retornar a Socaire, ele precisou oxigênio. O Mario não tinha oxigênio no carro (falha da agência,descobrimos depois)! Mas enfim, eles foram fazer o passeio nas Lagunas Mincanti e Miñiques e no retorno nos pegaram e descemos para San Pedro.

Com isso abortamos o passeio aos Geyser del Tatio e os demais passeios com muita altitude.

Voltamos ao camping, descansamos a tarde, e resolvemos ficar descansando no dia seguinte. Estamos viajando quase direto e não paramos ainda!

Foi um dia de muitas emoções! A visita a Reserva Nacional del Flamencos, a visão dos vulcões lindos, grandiosos e imponentes, e a mostra de nossa fragilidade e pequenez!

Como somos dependentes! Como o ar, é tão necessário! Não o vemos nem sentimos, mas ele depende a nossa vida! Esses contrastes complexos são de nosso conhecimento, mas conseguimos perceber com intensidade quando se tornam a nossa realidade!

 

Dia 04 (San Pedro a Calama)

Esta foi uma noite difícil! Muito, muito frio e extremamente seco! Acordamos diversas vezes e o Toninho, ficou algumas horas lendo e meditando, pois não conseguia dormir! Pensamos que foi reflexo da experiência do dia anterior!

As 7:30h levantamos, tomamos café e conversamos, oramos, e resolvemos seguir. Precisávamos sair deste lugar por um tempo!

Resolvemos seguir para Calama para ver um vazamento de água que tinha no carro.

Arrumamos tudo e quando o Toninho tentou ligar o carro! ele não pegou! Tive que ir ver alguem para dar carga na bateria.

Logo, ele voltou com um rapaz de Santiago que estava por perto. Fizeram o carro pegar e seguimos para Calama.

Chegamos as 11:45h em tempo de achar uma autorizada da Renaux e conversar sobre o carro! No final era só um vazamento na conexão da mangueira com o ar e facilmente resolvivel.

Eles estavam com a oficina lotada e pediram para retornarmos as 15h. Fomos ao mercado, fizemos um almoço, descansamos e retornamos no horário solicitado.

Ficamos na oficina até as 17:30h. Saímos em busca de um hotel que tivesse estacionamento para ficarmos. E eram 19:30 h ainda estávamos procurando! Pegamos o trânsito todo do horário de saída, e por ser um cidade com mineradoras, os hotéis estavam todos lotados!

Finalmente, encontramos um mais retirado, chamado Las Caviernas, com um preço em conta e que permitisse a entrada do carro.

Descansamos, lanchamos, acessamos a internet, e ficamos conversando até 23:00h. Fomos dormir! Gratos por mais este dia!

 

Dia 05 (Calama a El Loa)

Acordamos, eram umas 9h, estava muito frio! Fomos tomar banho e a água simplesmente não esquentava! 

Foi um stress! Ligamos para a receção, falamos do problema e nos disseram pra deixar ligado! Um absurdo! Num lugar com tão grande escassez de água, deixar a água ligada meia hora, uma hora para esquentar! Enfim, desistimos, arrumamos tudo e saímos!

Seguimos pelo litoral em direção a Iquique e a paisagem logo nos fez esquecer o ocorrido!

Ás 12:30 h já estávamos em Tocopilla! Uma cidade pequena e com pessoas muito simpáticas! Deixamos o carro no posto e fomos dar uma caminhada, fomos ao mercado municipal, com diversos restaurantes pequenos e almoçamos em um deles: peixe com salada e arroz, uma delícia! Depois fomos caminhar na praia!

Pegamos o carro e seguimos viagem! Dali em diante,cada curva revelava uma praia com algumas casinhas, todas fechadas, pois todos trabalham nas Mineradoras que tem aos montes por aqui! Mas o incrível é que eles fazem as casas na areia, muito próximo ao mar, algumas sobre palafitas!

Achamos estranho, pois como esta área é considerada área de risco por causa de abalos sísmicos, e tsunamis, as casas são próximas demais da praia. Se bem que, com as enormes dunas do outro lado da rodovia, não sabemos o que é o mais indicado! Enfim, seguimos, parando em uma praia ou outra para curtirmos o local, e chegamos em El Loa, eram umas 16 h. 

O Toninho resolveu para e descansamos ali, no estacionamento da Aduana que tem na estrada da Região de Tarapacá. El Loa é um lugar com um visual maravilhoso! Resolvemos dormir ali e pegamos as cadeiras, compramos um chá e bolachas e fomos para a praia ver o por do sol!

Foi um tempo emocionante! Fui caminhar pela praia e logo me vi catando cochichas! Lembrei que minha mãe fazia coleção e fui tomada por muita saudades dela! A dor da ausência com o lugar me fizeram chorar muito! Voltei e ficamos ali, assistindo o por do sol!

Nos recolhemos, fomos ao restaurante ao lado do estacionamento, conversamos com um jovem que trabalha ali, chamado Daniel, muito simpático e prestativo. Pedimos um lanche, que ele levou no carro pra gente, querido!

Como o lugar não tinha energia ele guardou nossas coisas de geladeira!

Jogamos um pouco de sequence, umas 3 partidas, que perdi todas, por sinal!

Fomos dormir!

 

Dia 06 (El Loa a Iquique)

Acordamos com o barulho dos caminhões na Aduana, eram umas 8h! Levantamos e, como estávamos sem água, fomos usar o banheiros públicos do local! Foi o banheiro mais precário que encontramos até agora! Todo em madeira, com desenhos nas portas, a água que tinham ficava em tonéis ao lado das pias.

Pagamos $250 pesos chilenos cada um e ganhamos um rolinho de papel, com uma garrafa pet com água. Aquilo era para higiene!

Quando o senhor que cuidava ali viu que queríamos escovar os dentes, foi em algum lugar e voltou com um copo de água, pois a que estava na garrafa não podia ser usada para isso! Ao descobrir que éramos do Brasil, só queria saber da copa! Mas ele falava rápido demais e o tempo todo! Era muito difícil entender o que ele falava!

Fomos ao restaurante pegar nossas coisas de geladeira e seguimos para Iquique.

Todo o trajeto foi muito bonito e tranquilo!

Chegamos em Iquique eram umas 13h, fomos abastecer em um posto petrobras e colocar água e fomos mal atendido! Saímos dali e logo a frente tinha um Copec! Foi como voltar pra casa! Um atendimento perfeito! Nos deram água, lavaram os vidros, nós disseram que poderíamos dormir ali, Toninho falou que precisava trocar o óleo, ali não dava. Um senhor Jorge! subiu numa moto e pediu ao Toninho para segui-lo! Levou ele numa oficina próximo onde poderia trocar óleo! Ele já verificou o estado da bateria, que estava com carga completa ainda, e voltou ao posto!

Algumas curiosidades de Iquique: faz muitos, muitos anos que não chove aqui! É considerado o terceito lugar mais seco do mundo. E se chove, é somente em janeiro ou fevereiro, e mesmo assim , muito rapidamente! Nós perguntamos ao pessoal aqui e eles dizem nem lembram quando choveu a última vez!

A cidade não possui boeiros! Não vimos nenhum! Tudo bem, uma cidade que não chove, justifica não ter boeiros!

Eles tem panfletos para os turistas, com várias orientações sobre a cidade e preparos contra tsunamis, abalos sísmicos, nevascas, erupções vulcânicas, e incêndios! É quase de ficar assustado!

O último tsunami foi em abril deste ano, gerado por um abalo sísmico a 84 km da costa, o nível do mar subiu bem pouco, mas alagou a área onde fica a zona franca de Iquique!

A cidade parece ter um poder aquisitivo considerável, com diversos condomínios de alto padrão! A zona franca movimenta a economia da cidade e atrai pessoas de todo o país a procura de emprego! 

Os táxis, tanto aqui como em Calama, são transporte público! Ou seja, diversos passageiros com o mesmo destino (descrito em cima dos carros) dividem a corrida!

Depois dessas descobertas, lanchamos, atualizamos informações na internet, e fomos procurar um hotel!

Queríamos dormir em um hotel para sairmos um pouco do carro.

Encontramos o Hotel Divasto que foi indicação do Pr. Marcelo, de Curitiba!

O hotel era bem agradável com quartos antigos, grandes, camas enormes, e um pessoal muito gentil na recepção. Nos abriram estacionamento particular para colocar a Master, deixaram ligar energia e água! Jantamos na Master e fomos dormir no hotel!

No hotel compartilhamos muito! Conversamos, choramos, oramos! Compartilhamos a dificuldade de mudar a mente, de se adaptar ao carro, a estar cada dia em um lugar, a administrar a saudade... Foi muito bom!

Mas as 23h na piscina do hotel começou uma festa que foi até as 3 h da manhã! O Toninho já estava dormindo! Eu estava atualizando o site e face! Fui até as 1:30h da manhã, tomei banho, e fui tentar dormir e nada!

Ainda bem que tinha outro quarto conjugado ao nosso! Não tive dúvidas fui dormir no outro quarto e apaguei!

 

Dia 07

No sábado acordamos eram uma 9h, tomamos banho e descemos para o café! O primeiro que tomaríamos fora da Master! Foi uma delícia tomar um café que eu não tinha feito! E com tanta variedade! Aprovei!

Depois fomos passear na Zofri, a zona franca de Iquique, que tem várias áreas,e. Estão construindo mais uma! Mais parece um camelo gigante!!! Fiquei meio agoniada com tanta gente! Esquecemos que final de semana tem muitos turistas!

Desistimos e fomos passear na Costanera! Resolvemos procurar um camping, pois o hotel era meio caro!

Achamos o Camping Cabañas, onde o sr. Pedro nos recebeu tão bem! Um lugar lindo, muito bem cuidado, com banhos quentes, água, energia, um visual incrível, internet, e por $6000 Pesos Chilenos por pessoa! Mesmo preço de San Pedro! E muito menos que os $65000 pesos chilenos do hotel! Perto da cidade uns 7km! Perfeito!

Não tivemos dúvidas! Nos instalamos!

Ao nosso lado tem um suíço! chamado Heinz, mas responde por Henrique! Tem 59 anos, engenheiro civil, já viajou mais de 80 países a trabalho! Se aposentou no final de 2013, e resolveu sair e viajar um pouco! Foi de avião a Santiago, comprou uma caminhonete e uma camper e está viajando pelo Chile!

Está no camping alguns meses! Sempre sai conhecer lugares e retorna para cá!

Está reformando a camper, que não tem calefação, para não sofrer tanto nas cordilheiras! Ele disse passar muito frio nos lugares altos que esteve!

Fiz almoço, almoçamos e Fomos descansar! Isso já eram 17:30h. Eu simplesmente apaguei até o dia seguinte! Acho que estava precisando! 

 

Dia 08

Acordamos as 8h com o barulho do mar! A previsão era de tempo fechado para o domingo! Mas logo abriu o sol.

Sentamos para tomar café, contemplando este mar azul lindo, ao som das gaivotas, pelicanos e lobos marinhos! Logo o Henrique apareceu, ofereci café pra ele e ele tomou café conosco!

Depois, o Toninho foi arrumar algumas coisas do carro e eu fui atualizar informações na internet e tentar encontrar uma igreja que pudéssemos visitar a noite!

quando eram 12 h, depois de muita procura achei algumas igrejas e mandei e-mail pedindo horario do culto!

Fui fazer almoço, descansamos a tarde! Ficamos curtindo o visual maravilhoso do lugar!

No final da tarde voltei a área de internet para saber se algum dos e-maiel tinham sido respondidos e recebemos uma resposta, de uma igreja com horário de culto as 19 h! Nos arrumamos e fomos!

Mas não encontramos a igreja! Uma pena! Fomos a outra, mas o culto é de manhá as 11:15 h?!

Enfim, desistimos, fomos a uma loja de materiais de contrução comprar algumas coisas que o Toninho precisava, fomos ao shopping cor uma pizza, hum, saudades! delícia!

Voltamos ao camping e fomos dormir! 

 

Dia 9

Acordamos as 8:30h com o barulho do mar e muito vento! Levantamos, estava frio! O vento faz a sensação de frio aumentar! Mas ás 10 h quando o sol saiu, o vento simplesmente parou e ficou uma temperatura agradável novamente!

Fiz café, ajeitei as coisas e o Toninho arrumou os canos da Master que quebraram na viagem, não sabemos onde!

Ao meio dia,  comemos a outra metade da pizza do dia anterior (pedimos uma pizza tamanho família e só conseguimos comer a metade)!

A tarde, fomos dar uma volta na praia, tentando chegar mais perto das três ilhas, que abrigam muitos lobos marinhos, tentando tirar uma foto mais próxima!  O Heinz, nosso vizinho, foi conosco! Depois de uma hora ele retornou e seguimos nós dois! Foi muito legal! Vimos muitos lagartos(que aqui chamam de lagartixa), pelicanos, caranguejos, peixinhos, gaivotas, e lobos marinhos!

Conhecemos o Sr. Sergio,  dono da empresa de cultivo marinho da cidade, que possui uma casa bem em frente ás três ilhas.  Ele nos levou para ver o cultivo de ostras, piscinas naturais, nos convidou para nadar, mergulhar e pescar na região!

Final da tarde quando voltamos, o Heinz, nosso vizinho, preparou uma carne; eu fiz arroz e salada, o Toninho assou a carne, ele trouxe um vinho e jantamos juntos!

Ele compartilhou de suas muitas viagens e de seu plano de ficar cinco anos viajando, volyando a Suiça somente no verão de lá!

Foi um tempo muito agradável!

 

Dia 10

Acordei as 8:30h com o barulho das ondas e dos lobos marinhos e não resisti: levantei, fiz um chá, peguei minha bíblia e cadeira e fui sentar de frente para as três ilhas! Fiquei ali até umas 10:30h! O sol apareceu, aquecendo nosso dia! O Heinz saiu dizendo que voltaria final de tarde, e que a noite faria batata suíça para jantarmos!

Eu fiz um café! O Toninho tinha levantado já também, ficamos compartilhando um pouco, tomamos café, e fomos lavar roupas, louças e ajeitar as coisas! 

Depois subimos para atualizarmos dados na internet e conversar com o pessoal! Descemos as 17h para assistir o por do sol e  a lua, quase cheia,  linda! Nósficamos sentados contemplando o visual maravilhoso!

A 19 h preparei uma salada, e o Heinz trouxe a batata suíça e carne com champignons! Uma delícia! Ficamos conversando e ele nos contou um pouco da história e da cultura da Suíça! Muito interessante! Um país com mais de 720 anos, com 4 línguas, um dos menores impostos do mundo, inflação zero, ou como ele diz, ás vezes menos. Com educação de primeira, carga horária de 48 horas semanais e média de aposentadoria 65 anos! Um pais sem corrupção e seguro! O povo é consultado em cada mudança ou decisão de maior impacto!

Questionamos dele sobre o fato de a Suíça recusar sediar a copa, e ele foi enfático em dizer que seu pais não tem dinheiro pra isso! O povo não aprovaria! Não tem estádios, nem estrutura para receber tanta gente, seria um investimento muito grande e desnecessário!

Ele comentou que, há tempos atrás, eles consultaram o povo sobre mudar o tempo de férias de quatro para cinco semanas! O povo foi unânime na resposta: não! para eles quatro semanas é suficiente! E segundo o Heinz tudo isso é resultado da educação! Isso que o país não tem recursos naturais!

Depois eu e o Toninho ficamos refletindo e comentamos sobre o Brasil, com tantas riquezas naturais! Tanto para ser um país excelente mas mergulhado em corrupção, vergonha e ignorância!!! Uma tristeza apertou nosso coração! Precisamos de um milagre!

Este foi um ótimo dia! Conversamos sobre como foi bom termos resolvido ficar! Deus é muito bom!

 

Dia 11

Acordamos ás 8:30h, o dia estava nublado e mais frio! Depois descobrimos que no sul do Chile, assim como no Brasil, o país sofre com as chuvas excessivas, e que a previsão do  tempo no pais todo é de frio e chuva. Aqui, tempo fechado e a temperatura em torno de 15 graus!

Tomamos café, ajeitamos tudo e resolvemos voltar a Zofri e olhar com calma! A experiência de sábado não foi boa!

E realmente! Hoje estava bem tranquilo! Deixamos o carro para um senhor lavar e ele nos pediu duas horas! Caminhamos por todas as seis áreas,  com calma, conhecemos tudo! Constatamos que os preços estão um pouco mais caros que os DutyFree's do Uruguai. Mas, no geral, os preços são bons!

Não podemos comprar muita coisa, aliás, nada! Por falta de espaço! Mas foi bom olharmos tudo! Fiquei ali ainda e o Toninho foi percorrer toda uma área com coisas para carro!

Nos encontramos e fomos comer um choripan nas barraqueiras fora da Zofri, uma delícia!

Voltamos ao carro e estava sujo! Procuramos o senhor que ia lavar e ele  tinha sumido! Achamos que se assustou com o tamanho! Enfim, fomos no Copec que tem um autolavado, e o Toninho, com duas fichas de 3000 pesos chilenos (R$ 12,00) em sete minutos, lavou a Master! Foi o máximo!

Fomos ao mercado e depois estacionamos na praia para ver o jogo do Brasil (que o Henrique falou que seria hoje) pensa como somos ligados em futebol!!!). Não tinha jogo, mas preparamos um café com pão quentinho e tomamos ali mesmo! Uma delícia!

Voltamos ao camping e fomos para área de internet!

Descemos para camping as 20:30h comemos e ficamos eu escrevendo e o Toninho assistindo um vídeo!

O dia foi puxado hoje! Mas muito proveitoso! Caminhamos bastante!

 

Dia 12

Hoje o dia amanheceu mais friozinho e com vento sul! Levantei, fiz um café, tomamos e fui novamente me sentar no meu lugar preferido aqui! Hoje as aves estavam todas nas pedras em frente nosso camping!

O Toninho ficou ajeitando algumas coisas, depois pegou o violão dele e foi sentar-se num canto e tocar!

Temos descansado bastante! Nos propomos a fazer isso nestes dias! E este lugar ajuda muito!

A tarde o Toninho subiu para acessar internet e eu fiquei no carro!

As 15h saímos para ir ao mercado pegar algumas coisas que esqueci e depois ir assistir ao jogo do Brasil e Croácia na praia!

Estacionamos, o Heinz já tinha chego e, juntos, assistimos ao jogo, com direito a café no intervalo!

Depois retornamos ao camping! Ficamos na internet ! 

 

Dia 13

Acordei as 8 h, fiz um café e fui novamente com minha cadeira, bíblia e anotações, contemplar o mar, os pássaros e o sol!

Isso tem sido rotina nestes dias! Fiquei contemplando a beleza e tranquilidade do lugar... As 10:15h retornei, o Toninho ainda estava descansando! Peguei algumas roupas e fui lavar!

Quando voltei ele tinha acordado, tomado café. Me ajudou com as roupas e depois ficamos ali os dois, sentados, contemplando o lugar, conversando, lendo, meditando, escrevendo...

As 13h ele preparou umas linguiças que compramos em dúvida, por não conhecermos muito! Fiz um arroz e salada, e ficou muito bom! Elas são bem temperadas e saborosas!

Depois descansamos... É um desafio ficar assim, mas tiramos esta semana para descansar, e precisamos nos manter no propósito! 

O Toninho ficou tocando! Para ele isto é descanso!

As 17h nós fomos ao mercado trocar uma mercadoria e depois pretendíamos ir ao culto numa igreja aqui, mas tinha jogo do Chile, a cidade estava uma loucura e achamos que não compensava ir até la! Demos uma volta na feirinha central e depois no Shopping e retornamos para o camping.

Linda a festa dos chilenos pela vitória contra a Austrália! A cidade estava toda "roja", vermelha! É lindo ver o patriotismo deles! A Avenida Costanera estava toda parada!

 

Dia 14

Acordei mais tarde!  O dia estava nublado, mas agradável! Uns 18 graus!

Abri o carro e fui fazer café, e contemplei um visual lindo! Realmente eu não sei porque mas tem alguns dias que todos os pássaros parecem vir tomar café na região em frente ao camping, o mar fica forrado de muitos pelicanos, patos, gaivotas dando seus mergulhos atrás de alimento, e pássaros pequenos e pretos, que vem em fila, uma infinidade deles e pousam na água e ficam ali! Uma festa!

Tomei café assistindo este espetáculo, o Toninho levantou depois e ficou ali! do mesmo jeito... Tomando café e assistindo.

Comentamos que, muitas vezes passamos por lugares com casas que tinham uma vista linda, e comentamos sobre como deveria ser maravilhosos acordar e ter um visual desses?!  Hoje nós estamos podendo usufruir e precisamos aproveitar!

Ele compartilhou comigo o texto de Provérbios 3:13-18.

Sobre como a busca pela sabedoria enriquece! E como temos o conflito de não estar trabalhando, e lutamos com o sentimento de não produzirmos nada neste tempo! O sentimento de que estamos fazendo algo errado, por não estarmos trabalhando! 

Mas ao mesmo tempo,  como é rico o homem que busca a sabedoria e não as riquezas! Como é feliz o homem que busca mais ser sábio do que ganhar dinheiro e ter bens! Como estamos felizes, com o que temos, como o queremos e com o que temos vivido! Leia mais em Momentos com Deus.

Passamos o dia assim!

 

Dia 15

Acordamos as 9:30h, atrasados, pois queríamos ir ao culto e a escola bíblica começava as 10h. Enfim, nos arrumamos, tomamos café e fomos somente para o culto que começava as 11h.

Chegamos uns 15 minutos antes, em tempo de pegar o final da escola bíblica e o intervalo para o início do culto! Uma igreja simpática, amorosa e receptiva. Com uns 100 membros, o culto começou as 11horas.

Os louvores, quase todos conhecidos nossos! E lembramos do Edenir Hames, ao tocarem uma música que ele ouviu na Colômbia há 20 anos atrás e chegou em Blumenau com ela gravada em fita k7 pedindo para tocarmos!

Foi um tempo muito precioso!

Ao final do culto, que terminou as 13:50h ( estranho pra nós, mas eles tem horários bem diferentes por aqui, as coisas começam a funcionar depois das 9h, fecham as 13, 14h, e voltam as 17h, fechando as 21, 22h) fomos apresentados a uma família de brasileiros!

A Família Castro (saiba mais em Pessoas Especiais), nos convidou para irmos a casa deles. Conhecemos a família deles,  grande e muito receptiva, almoçamos, e ficamos conversando até as 18 h. Depois  fomos com o casal passear pelo centro, conversamos até as 20:30h, quando retornamos ao camping.

Ao chegarmos encontramos mais um Motorhome, com um casal de Curitiba ( Elvis e Noeli), que estavam de passagem por aqui, com destino a Cusco.

Combinamos com nosso visinho suiço, o Heinz,  de sairmos 10:30h no dia seguinte para conhecermos  Mamiña, fizemos um lanche e fomos descansar!

Foi um dia cansativo mas muito especial!

 

Dia 16 (Conhecendo Mamiña)

O dia amanheceu lindo, ensolarado, com uma temperatura de 18 graus! Arrumamos tudo, nos despedimos do casal de  Curitiba, pagamos o camping e saímos ás 10:30h em direção á Mamiña. 

Levamos umas 2:30h até Mamiña. Uma cidade de 400 habitantes há 130 km de Iquique, há 2400 metros de altitude. Quando estávamos há uns 10 km de Mamiña, oToninho percebeu o aquecimento do motor. Logo em seguida, começou a perder potência, o pedal de embreagem afundou e ele não conseguia mais engatar as marchas! Fizemos o final do trajeto em segunda! Ao chegarmos na cidade, voltou ao normal! Mas ficamos um pouco preocupados!

Saímos a pé para visitar a cidade, que é um choque a primeira vista. Com muitas casas de pedra, na sua maioria, algumas bem castigadas pelos terremotos. Os seus moradores trabalham nas Mineradoras locais. Mamiña tem um mercado, uma igreja, dois hotéis, isso porque possui águas termais, mas os hotéis só recebem hóspedes de sexta a domingo, pois durante a semana estão arrendados pelas Mineradas para os funcionários dormirem!

A cidade tem alguns lugares cultivados que são lindos! Tem uns tanques de águas termais em meio as áreas verdes, para a população, mas não são muito limpos!

Nas piscinas de um dos hotéis, nos pediram 10.000 pesos chilenos, para usarmos as termas! Isso são R$40,00! Cada um! Não tivemos dúvidas: sem banhos termais! Estava muito quente mesmo!

Fomos visitar a casa de um artista, que descobrimos ser judeu, no alto de uma das montanhas, mas ele não estava!

O plano era dormirmos ali, e no dia seguinte, deixarmos nosso carro e seguirmos com o Heinz de 4x4 para Macaia, uma cidade mais acima nas montanhas, mas de difícil acesso, que também tem águas termais!

Com este problema do carro, achamos prudente retornarmos para Iquique, e verificarmos! No retorno estava tudo normal!

Fomos ao Zofri tomarmos um café, e voltamos ao camping. Conversamos um pouco com a Dona Miriam, dona do Camping, ficamos na internet, lanchamos e fomos dormir, gratos a Deus por retornarmos em segurança!

 

Dia 17

Acordamos com o casal de Curitiba saindo do camping. Eles estavam seguindo viagem!

O Toninho foi levar algumas roupas pesadas para serem lavadas (no camping tem a Dna. Ivone que lava roupas também!)

Encontrou um mecânico que esta arrumando a sprinter do Sr. Hector, dono do camping. Explicou o ocorrido com o carro e o pediu a ele para dar uma olhada!

Ele pediu que colocasse o carro na rampa e olhou tudo! Disse que o carro não tem problema nenhum, não achou nenhum vazamento, e que provavelmente o problema era a 'puna'. Chamado por eles de 'mal da montanha' !

O Toninho pergunto se isso não dava só no homem, mas ele disse que não! No ser humano os sintomas são: tontura, dores de cabeça e enjoos! No carro, segundo ele, a falta de oxigênio causa aquecimento no motor e perda de potência! Nós ficamos mais tranquilos com isso! 

A tarde fomos assistir o jogo com a família Castro, mas chegamos atrasados, pois pensávamos que começava as 16h e era as 15h! Mas mesmo assim, fora a decepção com a performance do Brasil, foi muito divertido estar com eles, todos vestidos de verde e amarelo! 

Depois, tomamos café, e eles nos colocaram em contato com um casal de Arica, que ficou feliz com a possibilidade de nos receber! 

Decidimos ir para lá na quinta-feira!

Combinamos com o Irani de retornarmos no dia seguinte para verificarmos as possibilidades de envio do carro por navio e retornamos ao camping!

 

Dia 18

Acordamos cedo, saímos e fomos encontrar com o Irani Castro que nos levou nas empresas de despacho para verificarmos as formada de envio do carro e locais! Chegamos a conclusão que daqui não é viável, por ser muito demorado e caro (média de 3400 dólares)!

Passamos a manhã com ele e a Cleo, sua filha. Depois,  retornamos a sua casa onde almoçamos e assistimos ao primeiro tempo do jogo do Chile juntos! Como o Chile estava ganhando e aqui eles fecham as ruas , como não queríamos ficar presos,  retornamos ao Camping no intervalo.

Foi ótimo pois ficamos curtindo o por do sol em nossos últimos momentos neste lugar tão especial! 

Fizemos uma carne com salada á noite, e fomos descansar! 

 

Dia 19 (Iquique a Arica)

O relógio despertou ás 6 h e arrumamos todas as coisas para seguir viagem. 

Abastecemos, o Toninho passou uma ducha no carro, e seguimos em direção ao Alto Hospício! Pegamos o trânsito da escola e um acidente na subida mas as 8:00h já estávamos seguindo tranquilamente!

A vista de Iquique é muito bonita do Alto Hospício! Uma cidade a 500 metros de altitude na encosta de Iquique. É interessante ver as dunas como que engolindo a cidade, em contraste com o oceano pacífico!

Na altura do kilometro 1850 da Ruta 5, apareceram as primeiras árvores e fomos surpreendidos com uma floresta em meio ao deserto, que se estende até o km 1865. 

Também ficamos impressionados com os vales! Onde há um rio com águas de degelo passando, há verde, cidades e plantações! Muito bom ver verde depois de tanto tempo com a paisagem do deserto! 

Paramos em alguns lugares para ver os geoglifos, figuras feitas pelos endígenas que estão gravados nas montanhas. E no km 1885, paramos para fotografar esculturas com estes geoglifos.

Há  10km de Arica vimos um emblema da Coca-Cola gravado em uma montanha, este é o maior emblema da Coca-Cola no mundo!

Chegamos ás 13:30 h em Arica e o Claudinei e a Priscila Godoi, missionários em Arica, nos esperavam com um delicioso almoço! 

Almoçamos, conversamos e saímos para conhecer um pouco da cidade. Ao contrário de Iquique, que com exceção da orla é construída em morros, Arica é plana, possui praias lindas, vales com cultivo de frutas e verduras e criação de gado, e uma quantidade enorme de aves marinhas!

Fomos conhecer um projeto missionário em Vale de Lluta! Um lugar muito pobre onde a maioria trabalha na agricultura. Os vales são muito férteis por terem os rios de águas de delego e a camanchaca (uma nuvem que chamaríamos de maresia mas bem mais densa), que  invade os  vales ao anoitecer  trazendo frio e regando as plantações! Algo impressionante!

Eles construíram neste vale uma pequena igreja. O terreno foi cedido por uma irmã da igreja e a construção feita com paredes de compensado. O suficiente para abrigar as pessoas!  Usam o local para trabalhos ensinando a palavra de Deus para as crianças aos domingos e um culto para a comunidade nas quintas á noite!

O culto começou as 19h e logo a pequena igreja estava lotada, com umas 40 pessoas. Foi um tempo muito precioso! 

Após abertura da irmã responsável, foram cantados dois cânticos com a comunidade, depois 3 cânticos com as crianças, que  o Toninho acompanhou ao violão! Depois nos convidaram para falar um pouco do Brasil, de Blumenau, do que estávamos fazendo aqui, e cantamos duas musicas, louvamos a Deus com eles em português! 

Em seguida, foi servido um lanche de inauguração!

Saímos as 22:00h e retornamos compartilhando de como ficamos encantados com tudo o que vimos e ouvimos! 

Ficamos esta noite na casa deles! Um casal muito hospitaleiro e amoroso! Deus é muito bom!

 

Dia 20

Acordamos as 9h e a Priscila nos preparou um café delicioso, com muffins, torradas, uma delícia! Ficamos conversando até 11:30h e o Claudinei saiu conosco e nos levou para uma volta pelo centro de Arica e depois fomos a uma praia linda, chamada Coraciones! Um lugar com muitas aves e lobos marinhos, com paisagens incríveis, rochas e cavernas gigantes! Foi muito legal!

Ás 15 h retornamos e fomos almoçar no Agro!  O Agro é um mercado grande onde se vende desde material de limpeza até carne! Tem uma área de alimentação com vários restaurantes!  Almoçamos, fomos conhecer o Agro e retornamos para a casa deles! 

 

Dia 21

Amanheceu e novamente um café delicioso nos aguardava! Tomamos café e fomos visitar uma feira que tem perto da casa deles! Muito interessante a variedades de frutas e verduras, que possuem por aqui. Também é comum a venda de roupas usadas, material de limpeza, comida... tudo isso em uma rua fechada para comportar a feira!

Depois seguimos sozinhos para o Vale de Azapa! Um lugar lindo de muito cultivo de azeitonas, milho, tomates... plantações incríveis dada a escassez de água. Eles plantam na areia! Com toda uma estrutura de canalizar a agua de degelo para fazê-la chegar ás plantações! Por ser um lugar seco (Atacama é o deserto mais secos do mundo) é impressionante ver as técnicas utilizadas na agricultura!

Nós fomos ao Museo de Azapa conhecer um pouco mais da história Chilena. Ali se encontram as marcas que os incas e os tiawanaku deixaram sobre os primeiros habitantes da região, e as múmias são mais antigas que as do Egito!

Á noite fomos a Festa de Ano Novo Inca, celebrada em Arica nos dias 20 e 21 de junho! Um tempo com muita informação sobre a cultura chilena e seu relacionamento com sua história! 

 

Dia 22

Acordamos no domingo, tomamos aquele café preparado pela Priscila e saímos para a escola bíblica na Igreja onde eles congregam!

Fomos visitar o Agro e ficamos encantados com a variedade de frutas e verduras, com as flores do local!

A noite fomos ao culto e novamente tivemos um tempo precioso de comunhão, onde compartilhamos com a igreja sobre nossa história e tocamos e cantamos, louvando a Deus junto com eles! E ficamos cada vez mais encantados com este mistério que é fazer parte da família de Deus espalhada pela face da terra! Porque, aonde chegamos, somos acolhidos e nos sentimos em casa!

Depois do culto, saímos com o Claudinei e a Priscila, com o Carlos e a Silvana e a Acsa! Comemos um lanche ‘muy rico’, conversamos muito, rimos muito e compartilhamos experiências! Retornamos bem tarde mas muito gratos por podermos conhecer pessoas tão especiais!

 

Dia 23

Acordamos mais tarde, devido o avançado da hora que fomos dormir! Tomamos café, conversamos mais um pouco e soubemos sobre o trabalho deles (Claudinei e Priscila) com os Yanomamis! Sempre muito interessante ouvi-los falar sobre o tempo que viviam entre eles!

Saímos perto de meio dia para a casa de Elias e Mariela, um casal de chilenos da igreja que nos convidaram para assistir os jogos do Chile e Brasil. O Chileno tem uma relação patriota muito forte e isso se reflete muito no Futebol! Bem diferente do Brasil, aqui todas as propagandas os levam a torcer e acreditar que eles podem ganhar! Uma paixão pelo Chile, não pelo futebol! Bem interessante!

Enfim, o Chile empatou e assistimos o jogo do Brasil! Foi muito bom estar com eles! Uma família muito especial!

 

Dia 24 (Arica - Tacna/Perú)

Acordamos cedo, tomamos café e saímos as 9:30h. Foi difícil nos despedirmos de Claudinei e Priscila.

Passamos momentos tão especiais com eles! Mas precisávamos seguir...

Leia mais em Diário do Perú.