Procedimentos Fronteira a Fronteira:

06/02/2015 01:08

 

Brasil/Uruguai (Chuí):

Seguro: Carta verde, que pode ser feito, tanto em sua seguradora, no Brasil, como no Chuí (entramos por lá), em locais específicos! Hoje em dia no Brasil, as seguradoras oferecem, junto ao seguro anual a carta verde com esta validade também. No caso dos Motorhomes é preciso fazer próximo a fronteira.

Valor pago: Carta Verde (maio/2014): $ 86 para três meses.

Passagem pela imigração e aduana é tranquila. Somente precisa preencher formulário pessoal e do veículo e passar apresentando formulários com documentos (Conforme Procedimento Padrão*) com a carta verde.

Importante: Andar com faróis acesos, mesmo durante o dia.

 

Uruguai/Argentina (Paysandú/Colón):

Entramos pela ponte Internacional Evita Perón e foi tranquilo.  

Tanto para sair do Uruguai como para entrar na Argentina, a passagem pela imigração e aduana é tranquila. Somente precisa preencher formulário pessoal e do veículo e passar apresentando formulários com documentos (Conforme Procedimento Padrão*) com a carta verde e seguir para a revista do veículo.

Importante:

Andar com os faróis acesos todo tempo!

Observar as exigências da Polícia Argentina de material de segurança para o carro:

2 triângulos;

1 cambão;

faixas refletivas da 3M nas laterais (vermelho e branco)- (exceto carros de passeio);

adesivo de 110 Km/h na traseira (exceto carros de passeio);

kit de primeiros socorros;

colete refletivo.

 

Argentina /Chile (Mendoza/Los Andes):

As aduanas são na cordilheira e geralmente demoradas (devido ao grande fluxo de veículos). A saída da Argentina foi mais tranquila, saída pessoal e depois do veículo.

A entrada no Chile foi de mais de duas horas, de longas filas, e é preciso se informar, pois precisa apresentar os documentos com formulários preenchidos, mas não há identificação de onde conseguí-los.

Somente precisa preencher formulário pessoal e do veículo e passar apresentando formulários com documentos (Conforme Procedimento Padrão*) e seguir para a revista do veículo.

Sugestão: ir cedo para evitar descer á noite (caso passe por Mendoza).

Este país, tem um controle rigoroso dos alimentos que entram e circulam pelo país! Evitar levar frutas e verduras, ovos e grãos para ele!

 
 
Chile/Perú (Arica/Tacna):

A saída do Chile foi mais tranquila, mas na entrada do Perú, precisamos comprar um formulário ($ 2).

Somente precisa preencher formulário pessoal, fazer a imigração e preencher o formulário do veículo e passar apresentando formulários com documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.

Este país, tem um controle rigoroso dos alimentos que entram e circulam pelo país! Evitar levar frutas e verduras, ovos e grãos para ele, bem como a cada mudança de região!

 

Perú/Equador (Tumbes/Huaquillas):

Dicas: Seguir as placas de Salir de País, preencher formulários, passar na imigração pela fila Salir de Peru e depois pela fila Ingresso al Ecuador! Ficamos duas horas para fazer tudo. Seguir mais 5 km e é preciso parar para fazer os documentos do carro. Demora um pouco.

Somente precisa preencher formulário pessoal, fazer a imigração, Fazer cópias e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo. Eles tiram fotos da placa e do carro, e nesta fronteira não revistaram nosso carro.

 

Equador/Colômbia (Tulcán/Ipiales):

Dica Importante: No Equador, precisa parar fazer a saída, antes da ponte! É meio confuso o local, e como na saída do Peru, tudo foi feito junto, ficamos mais de 40 minutos numa fila (isso perguntando como fazer) e era a fila errada! Tivemos que voltar para fazer a saída!

Depois de fazer a entrada na Colômbia, que é feita somente com carimbo no passaporte e sem formulário, Fazer cópias dos documentos do carro, carteira de motorista e passaporte com entrada na Colômbia, e siga com o carro uns 50 metros para fazer a entrada do carro.

A vantagem aqui é que não necessita pegar formulário e preencher, é só o passaporte para a entrada.

Fazer o SOAT (logo após a entrada); se for á noite precisará ir ao centro, no Mercado Akosto em Ipiales (das 9h ás 20 h).

Importante: fazer o SOAT, pois na Colômbia a polícia pede sempre o seguro! E é verdade, pedem mesmo!

Valor SOAT: $ 18 para 15 dias (em agosto/2014).

 

Colômbia/Panamá:

Nós fizemos o envio do carro por barco (saiba mais em Despacho e Desembaraço do Carro) e nósfomos de avião.

Importante: Leve os documentos do carro ao aeroporto e esteja preparado para ter que brigar para poder embarcar sem uma passagem de volta! Exigência do Panamá que (no nosso caso a Copa Airline) exigiu a apresentação da passagem de volta para permitir a ida!

Leia mais em Diário de Colômbia, no dia 29 e Diário do Panamá. Levamos cinco meses para ter o reembolso do valor dessas passagens (leia mais em Caso Copa Airlines)!

Hoje existe a possibilidade de fazer o transporte pessoal e do veículo pelo Ferry Xpress, o que diminui, e muito, os custos e agiliza, pois são 18 horas de transporte. Vamos fazer a volta com eles e depois postamos como foi!

 

Panamá/Costa Rica (Paso Canoas):

Os trâmites na fronteira da saída do Panamá é uma bagunça! E tem um monte de “despachantes” querendo “ajudar” você a fazer os trâmites! E você não consegue fazer sem eles! Eles fazer isso mediante uma oferta expontânea.

Na saída do Panamá, revistaram nosso carro com cão (foi um estresse!). Pode saber mais em Diário do Panamá (último dia).

Mas, fora isso, siga o Procedimento Padrão*.

Na imigração e aduana da Costa Rica, que é limpa e organizada, e sem “guias”, o tratamento foi bem diferente! Eles explicam tudo, falam a quantidade de cópias necessárias e carimbos, seguro, revisam o carro e tudo certo! O procedimento todo pode ser demorado! Nós levamos duas horas para fazer esta fronteira!

Na Costa Rica, na primeira vez, precisa fazer um seguro para 90 dias. Valor: U$ 35 (valores de setembro/2014).

 

Costa Rica/Nicarágua (Peñas Blancas):

A saída foi bem rápida!

Na entrada da Nicarágua, de novo, muitos “despachantes” cercam o carro oferecendo seus serviços. Decidimos fazer sozinhos (bem mas demorado que fazer com os despachantes e revoltante também!). Precisa pagar por cada documento! É um vai e vem em diversos locais e guichês diferentes!

Mas, fora esse vai e vem, precisa preencher formulário pessoal, fazer a imigração, Fazer cópias e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.

Ao todo foram U$ 62 com o seguro, o total que gastamos nesta fronteira.

 

Nicarágua/Honduras/El Salvador (El espino/San Marcos de Colón/Goáscorán):

Saída da Nicarágua foi rápida e sem problemas.

Na entrada de Honduras somente precisa preencher formulário pessoal, fazer a imigração, Fazer cópias e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.

Valor total Honduras: U$ 40.

A saída de Honduras sem problemas!

A entrada de El Salvador deu trabalho! Levamos duas horas! Leia mais em Diário de Honduras/ElSalvador.

Mas não precisa formulário, só carimbo no passaporte.

Fazer a imigração, Fazer cópias e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.

 

 

El Salvador/Guatemala (Aduana Las Chinamas)

A entrada para El Salvador foi a mais enrolada e, para sair, foi a mais perdida! Ninguém sabia o que fazer. 

Mas, mesmo com isso, foi rápida e nos liberaram.

A entrada para a Guatemala eles foram rápidos e atenciosos, nos deram um mapa e explicações.

Somente precisa preencher formulário pessoal, fazer a imigração, Fazer cópias e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.

Seguro: U$ 20.

 

Guatemala/Belize (Melchor de Mencos)

A saída da Guatemala foi rápida e tranqüila. Mas é cheia de crianças “despachantes” querendo ajudar! Mas é possível fazer sozinho!

Belize tem algumas particularidades: falam somente inglês e não se esforçam para falar espanhol; são hostis no atendimento. Foi a fronteira com o pior tratamento! Leia mais em Diário de Belize.

Mas o procedimento é ir a imigração onde pegam o passaporte e registram as informações e passar na aduana apresentando formulários com os documentos (Conforme Procedimento Padrão*)e seguir para a revista do veículo.  A inspeção sanitária é rigorosa para um país em situação muito precária! Uma incoerência!

Seguro: U$20.

 

Belize/México (Santa Elena)

A saída foi rápida mas, não menos hostil que a entrada.

E a entrada no México por Quintana Roo, uma experiência ótima! Tínhamos muita informação de que o México tem muitos processos, um vai e vem, muitas taxas e impostos para pagar. Para nossa grata surpresa, o México tem uma ampla e organizada fronteira. Limpa, sinalizada, sem comércio em cima, sem “despachantes” por todo o lado. Nada disso ali é permitido. Pessoas educadas e informando todo o processo que foi rápido, organizado e simples. Até para pagar as taxas e a permissão veicular (que foi um susto e uma facada!) pudemos utilizar o cartão.

Valor Pago: U$ 400 dólares (pode ser reembolsado este valor na saída do país).  $75 dólares com as demais taxas.

 

México/EUA (Matamoros/Browsville)

A saída do México foi tranquila.

Na imigração dos EUA, tudo muito limpo, sem aquele monte de “despachantes”, nem taxas e nem xerox que estávamos encontrando por toda a América Central.

Passamos de carro por uma cabine, nos foi solicitado somente os passaportes, recebemos a indicação de onde parar o carro para inspeção, um agente veio e pediu para que deixássemos as chaves do carro na ignição e o carro aberto que fariam uma inspeção sem a nossa presença. Essa foi a parte que não gostamos, mas pensando que estamos nos EUA, então, a contragosto fomos encaminhados a uma sala onde pagamos uma taxa de U$12 para a imigração.

Não nos pediram licença internacional e nem documento do carro. Nada, o agente pegou os passaportes, fez uns registros, pagamos a taxa e fomos liberados!