Argentina - Trajeto IV: El Bolson a Villa la Angostura - 09 a 16/12

16/12/2015 15:13

Trajeto IV: El Bolson - Bariloche - Villa La Angostura 

Veja as fotos em Galeria de Fotos.

 

Argentina - 09 a 16/12 - El Bolson a Villa La Angostura.

09/12 - Chegamos a El Bolson e estacionamos no centro, fizemos almoço, e depois saímos procurar um lugar para dormirmos! Resolvemos parar em frente à praça, mas a polícia nos pediu para sair e estacionar uns duzentos metros do local, ainda em frente à Praça Pagano!

El Bolson e uma cidade turista e com a única feira autônoma do país! Terças-feiras, quintas-feiras, sábados e domingos, a praça central denominada Plaza Pagano, fica lotada com pessoas do mundo todo, na sua maioria viajantes, mochileiros, vendendo seus artesanatos. Músicos tocando seus instrumentos, turistas deitados e sentados por toda a extensão do gramado. Conhecida como uma cidade de hippies, El Bolson é conhecido como um lugar mágico e natural. Cercada por montanhas que no inverno ficam nevadas, dando um aspecto realmente mágico a cidade, ela faz a divisão das províncias de Rio Negro e Chubut. Fica às margens da Ruta 40, a mais importante da Argentina.

Decidimos ficar em El Bolson no dia seguinte por ser quinta-feira e aproveitarmos para tentar vender algumas das coisas que faço!

 

10/12- A noite foi agitada pois alguns motoqueiros resolveram ficar brincando com as motos em frente ao nosso motor home! Ficaram até as três horas da madrugada! Mas depois silenciou tudo e conseguimos dormir!

Resolvemos ir para a praça vender nossas coisas na feira. Consultamos e durante a semana é permitido. Dia de feira e a praça está lotada! O Toninho pegou violão, os artesanatos que faço, mês, cadeira e foi na frente, eu terminei de limpar tudo e fui também! Ficamos até as cinco e meia e vendi uma peça! Rsrsrs  Mas foi bem legal! Era um sonho que tínhamos, fazer isso!

Depois quando a maioria já tinha recolhido as coisas e indo embora, recolhemos as nossas, guardamos e fomos passear, fomos ao posto atualizar informações na internet e retornamos.Tivemos um problema em nosso cartão e o Toninho foi até uma telefônica para tentar resolver.

Retornou, junto com a Alici e o Vardé que tinham ido passear pela cidade! Tomamos café, conversamos um pouco e fomos dormir, definido que retornaríamos parando um dia a mais no Cerro Catedral para lavarmos roupas.

 

11/12 - El Bonson a Cerro Catedral - Bariloche.

Acordamos, tomamos café e saímos para Bariloche. Precisamos voltar pois nosso roteiro inclui Villa La Angostura e San Martin de los Andes, depois cruzamos para o Chile. 

Antes de sairmos apareceu duas policiais solicitando que deixássemos o local, pois não era permitido acampar. Mas já estávamos de saída, então, não nos preocupamos!

O retorno foi tranquilo mas o dia de sol foi ficando para trás, dando lugar para uma chuva fraca e um frio, muito frio! Quando passamos na primeira ruta que leva ao Chile, era possível ver que estava chovendo e nevando na cordilheira!

Paramos para almoçar em uma área  de picnic à beira do lago Mascardi, depois para carregar água em um posto ACA, e seguimos até o cerro catedral.

Já chegamos ao Cerro Catedral debaixo de vento e chuva. Nos instalamos e deixamos as roupas para o dia seguinte.

 

12/12 - Acordamos com chuva e vento. Frustrando um pouco nossos planos, mas resolvemos lavar roupas mesmo assim!  Abrimos o toldo e estendemos debaixo.

A polícia do local passou com cara de poucos amigos, mas não falou nada... Vamos ver durante o dia!

O dia transcorreu tranquilo, mas a chuva e o vento não deram trégua! Muito frio! Resultado: passamos o dia hibernando dentro do carro!

A previsão de tempo ruim nos fez decidir ficar mais um dia em Bariloche!

 

13/12 - A noite foi de muita chuva e vento! Mas o dia acordou sem chuva e o sol logo resolveu aparecer! Aliado ao vento forte acabou de secar nossas roupas!

Depois do almoço carregamos água e saímos para o centro! Resolvemos ir para o Terminal de Omnibus passar a noite lá, pois assim poderíamos dar uma volta no centro!

Chegamos na hora da partida do Trem patagônico, que vai até a cidade de Viedma em dezesseis horas!

Resolvemos dar uma caminhada até o centro da cidade! Estava ventando muito e bem frio, e a cidade estava há uns três quilômetros do local, mas nos encapotamos e fomos mesmo assim! Paramos na Tante Frida, uma chocolateria na Mitre, 660, para tomar um chocolate quente com medialunas! Hum!

Seguimos pela Mitre só olhando vitrines! Entramos numa galeria para ver a pista de patinação no gelo, fomos até o Outlet da Escandinavian, mas estava tudo muito caro! Passamos na Mamuscha, para tomar um delicioso sorvete e retornamos ao Terminal de ônibus, já com uma chuva fina e fria!

 

14/12 -  Villa la Angostura 

Acordamos e o dia estava mais aberto, com algumas nuvens no céu! Saímos em direção à Villa la Angostura perto das dez horas, e paramos muitas vezes pelo caminho para tirar fotos! Chegamos a Villa la Angostura já passava do meio dia. Havia um desvio para carros grandes e acabamos passando do centro!

Seguimos até mais à frente para retornar e paramos num local onde a Débora, Debie, de Puerto Madrin, pedia carona para a Villa la Angostura! Demos carona para ela, que está de férias passeando por aqui.

Seguimos até um mercado Todo, onde o Vardé e a Alici deixaram o Gargamovel e todos fomos no Valente, mais a Debie, para o centro de Vila La Angostura. Estacionamos, nos despedimos dela e fomos caminhar no centro. A maioria das lojas estavam fechadas por causa da sesta, e só abrem após as cinco da tarde.

Mesmo assim, caminhamos pelo centro, e retornamos ao Supermercado onde o carro deles estava. Fizemos almoço, limpamos tudo e fomos até a entrada do Parque Nacional Los Arrayanes, ou Istmo de Quetrihue. Estacionamos o carro e fomos dar una volta pelo local, que estava frio e ventando.

Vimos o preço do Catamarã para a Floresta de Arrayanes e os horários: ida e volta custa $350 pesos, só um trecho $250, e a caminhada é de doze quilômetros! Mais $100 pesos para entrar no Parque.

Decidimos ir no dia seguinte a pé, e voltar de barco!

Seguimos conhecendo as Bahia Mansa, a Brava, fomos ao Mirante da Laguna Verde, tiramos algumas fotos, e voltamos para os carros!

Fizemos pizzas, jantamos, tomamos um vinho e fomos dormir. O plano era sair as dez horas do dia seguinte para a caminhada!

 

15/12 - PN Arrayanes - Huella Andina

Para nossa alegria o dia nasceu ensolarado. Quase sem vento, mas a temperatura chegou a dois graus a noite! Preparamos tudo, fomos comprar a passagem do catamarã, compramos as entradas do Parque e as 10:15h saímos para nossa caminhada!

Passamos seis horas caminhando, parando tirando fotos, ouvindo os pássaros, o vento nas folhas das árvores, admirando a beleza do parque, lanchando... Percorremos os doze quilômetros. Somente o início foi mais pesado pois tinham muitas escadarias, subimos uns 750m.s.n.m.

A trilha era tranquila, bem mais leve que a de Piedra Perez, que fizemos no Cerro Tronador. Mas é mais tempo de caminhada continua.

Quando chegamos ao Porto, logo o Catamarã chegou e a guia Soledad, nos levou para o Bosque de Arrayanes para mais um quilômetro de caminhada e nos deu uma aula sobre a árvore. Existente somente na Argentina e Chile, sendo este local onde se encontram em maior quantidade, vimos árvores de seiscentos anos! De uma cor laranja escuro, e fugindo a regra de que são arbustos de até quatro metros, aqui elas elas chegam a alcançar quarenta metros! E em busca do sol crescem retas no meio do bosque, dando folhas somente nas alturas!

Um bosque lindo e preservado, muito interessante.

Ás quatro horas o barco saiu para voltar a Vila la Angostura, e o passeio de cinquenta minutos é um show de paisagens num dia lindo de sol, com gaivotas sobrevoando o barco, as águas transparentes e cristalinas do lago, as montanhas nevadas completando a paisagem!

Chegamos cansados, mas felizes e realizados com o passeio! Valeu muito a pena! 

 

16/12 - Acordamos cedo, umas sete e pouco com um pessoal tentando rebocar um barco enorme que tinham deixado no estacionamento na noite anterior! Um barulhão só! Ajeitamos tudo e saímos em direção a Villa Traful! Paramos antes na praça para carregar os tanques de água!

O dia estava nublado com vento e frio...