Argentina - Trajeto V: Villa Traful a Passo Fronteriço Mamuil Malal - 16/12 a 24/12/2015

24/12/2015 18:57

Trajeto : Villa Traful - Circuito Sete Lagos - San Martin de los Andes - Junin de los Andes - Parque Nacional Lanin - San Martin de los Andes - Paso Mamuil Malal

Veja fotos em Galeria de Fotos.

 
16 e 17/12 - Dois dias em Villa Traful

Seguimos pela estrada de ripio para a Villa Traful, por meio de uma mata com árvores imensas caídas, e pedras enormes, dando um toque todo especial ao lugar. E as pontes sobre os rios de água de degelo davam o toque final á paisagem.

Nesta nossa batida, entramos na Villa Traful uma hora da tarde, paramos em uma area de picnic, à beira do lago Traful. Um lugar muito tranquilo e com uma paisagem linda! Ali fizemos almoço e descansamos!

As quatro da tarde fomos até a Villa Traful, que realmente é uma vila de setecentos e vinte habitantes, um lugar pitoresco, encravada no coração do Parque Nacional Nahuel Huapi, rodeada de frondosos bosques, rios, paisagem de serra com casas de madeira, algumas pousadas campings e hotéis, completam o lugar turístico muito simpático à beira do lago do mesmo nome. Um lugar tranquilo e cheio de paz! 

Passeamos pela vila, fomos a informações turísticas, tiramos algumas fotos, fomos a um mirante lindo! O Mirante dos Ventos! E logo descobrimos o porquê do nome! À beira de um penhasco avançando sobre o lago o vento era de uma força meio sinistra! No caminho, muitas árvores caídas à beira da estrada dava mostras da força do vento no local! As flores amarelas margeando a estrada e muitas ovelhas graciosas completavam a paisagem agradável no local!

Resolvemos voltar final de tarde ao local onde almoçamos para passar a noite, na Área de Picnic Tres Marias.

 

O dia amanheceu com vento e céu encoberto, a temperatura chegou a quatro graus na madrugada e demorou para subir pela manhã! Acordei às oito e o sol à beira do lago me convidou para tomarmos café! Preparei o meu, fui para uma mesa com cadeiras feitas de toras de árvore, e ali fiquei "ouvindo" o sol do vento, da água, dos pássaros... Tomei café com Deus! Conversando com ele a respeito da perfeição de tudo o que Ele criou. Falei-lhe sobre a beleza do conjunto, sobre a precisão na escolha das cores... Sobre como ele pode imaginar e criar tudo isso!? Como os troncos das enormes árvores caídas dão um toque especial a paisagem...

Falei com ele também sobre a Sua beleza e cuidado em tudo que fez! E comigo!? Não mereço!

Mais tarde o Toninho veio com seu café, e ficamos os dois ali! Conversamos, compartilhamos e mais tarde retornamos ao Valente.

O Toninho pegou o violão, pegamos o presente do Vardé e fomos ao Gargamóvel, carro dele, cantar os parabéns! 

Decidimos passar o dia por aqui e aproveitamos para lavar roupas enquanto o Toninho e o Vardé se divertiam tentando tirar água do lago com uma bomba (e conseguiram!) e faziam cabos para passar energia do carro deles que tem diversos painéis solares, para o nosso (conseguiram também!).

Almoçamos, e a tarde ficamos sentados à beira do lago tomando um chimarrão! Uma delicia!

Final da tarde a Alici fez um bolo e fomos comemorar o aniversário com direito a velinhas e tudo! Cantamos parabéns de novo, tiramos fotos e nos deliciamos com o bolo de cenoura com cobertura e café com leite!

Após definirmos o roteiro de amanhã, eles recolheram toldos e cabos ligados e nos recolhemos!

 

18/12 - Villa Traful  - Circuito Sete Lagos - San Martin de los Andes 

Levantei cedo novamente, pois queria aproveitar nosso último dia neste paraíso. Arrumei meu café e fui para a beira do lago aproveitar os últimos momentos! Um lugar fantástico... Tranquilidade,o sol, o vento, o barulho da água... Fiquei ali por um tempo, até o Toninho vir com o café dele. Ficamos ali juntos, orando, contemplando, compartilhando a paz deste lugar...

Perto das onze voltamos ao carro para arrumar todas a coisas para sair.

Abasteceram os tanques com água do lago, recolheram tudo e seguimos para fazer o caminho dos sete lagos até San Martin de Los Andes.

Logo, adentramos o Parque Nacional Lanin e o caminho mudou um pouco a paisagem com as flores lilás e amarelas dando lugar a florestas verdes, e revelando os lagos que dão nome ao trajeto.

Paramos para fotografar, ou apenas para contemplar os Lagos Correntoso, Espejo, o Lago Escondido que faz jus ao nome de tão difícil que é de vê-lo, o Lago Villarino, que é lindo, enorme e ligado ao Lago Falkner, o Lago Machónico e o Lácar que está à beira de San Martin! Ainda vimos a Cascata Vullignanco, linda!

Chegamos a San Martins de Lons Andes e nos encantamos com o lugar! Uma cidade planejada, toda em quadras, com uma praia à beira do lago Lácar, construções simpáticas, um trânsito tranquilo, um povo amistoso, um lugar encantador!

Paramos no Terminal de Ônibus e perguntamos por lugar para ficarmos e nos indicaram um Estacionamento na Praia, um lugar amplo, tranquilo, todo circundado por árvores frondosas que garantem sombra, o lugar é perfeito, e fica perto do centro.

Almoçamos, fomos ao posto abastecer, e nos instalamos.

Saímos para caminhada pela cidade, fomos ver a programação de natal, tinha evento na praça principal e nós ficamos por ali! Uma delicia! Teve uma aula muito legal de dança (salsa, rumba...) muito divertida. Eu e o Toninho fizemos e rimos muiitooo! Depois assistimos algumas apresentações de tango e retornamos ao carro para descansar.

 

19/12 e 20/12 - San Martin de Los Andes - Mirante Bandurrias - Centro

O Toninho saiu cedo com o Vardé para trocarem dinheiro, pois ficaria aberto só até início da tarde por ser Natal, e retornaram perto de meio dia! Fiquei no carro adiantando o almoço.

Assim que chegaram, saímos para fazermos uma caminhada até o Mirante Bandurrias. Foram cinquenta minutos de caminhada até o mirante. Mas o visual vale a pena! Ficamos por uma hora no local e descemos em meia hora!

Preparamos o almoço, e três da tarde estávamos almoçando!

O Toninho pegou o violão e foi para a praia tocar. Pintei o cabelo e quando acabamos fui ao encontro do Toninho. Ele resolveu ir nadar. Disse que a água estava uma delícia!

Como parte da programação do Evento de Navidad (evento de natal), a noite, tinha apresentação de bandas de rock locais. Demos uma volta pelo centro, compramos um chip para internet da movistar ($ 10 pesos + $40) tomamos um sorvete e depois ficamos assistindo o show. 

No dia seguinte levantamos tarde! Fomos ao mercado e resolvemos ficar na cidade mais um dia!

Perto do almoço chegou Patris e Raquel, um casal de Franceses em um Caminhão MAN. Estão viajando há dois anos pela América do Sul e disseram amar o Brasil! Comentaram ainda sobre os contrastes, ao mesmo tempo que acham o povo alegre e hospitaleiro, é m país perigoso que requer cuidado e atenção todo o tempo!!!

À tarde resolvi atualizar as informações no facebook e website e o Toninho foi até a praça ver a apresentação de folclore Regional.

 

21/12 - Junin de Lons Andes - PN Lanin 

O dia nasceu com sol entre nuvens contrariando a metereológica de que seria uma segunda chuvosa, então resolvemos levantar acampamento e seguir para Junin de los Andes e depois para o Parque Nacional Lanin, onde pretendemos ver o vulcão Lanin e passar uns dois dias!

O caminho a Junin não tem nenhum atrativo, e fizemos rápido! Junin é considerado o Point Internacional de Pesca Esportiva, mas nos pareceu uma cidade simples, sem muitos destaques ou cores. 

Fomos para o Parque Nacional Lanin e nos preparamos para enfrentar 50 km em estrada de rípio! Ficamos felizes pois desses, dez já estão asfaltados!

Chegamos a administração, compramos as entradas que custaram $100 pesos, por pessoa e seguimos até Puerto Canoas, onde está o guarda parques e o centro de visitantes. Estacionamos ali.  Já chegamos debaixo de chuva, e conversamos com a recepcionista que nos permitiu ficarmos estacionado por dois dias, nos deu água e todas as dicas das trilhas que podem ser feitas no parque.

Como estava chovendo e a previsão era de chuva até quarta feira, dia 23, ficamos um pouco tristes mas, como a chuva é bem vinda aqui, tudo bem.

Interessante que aqui o ar tem um pó por tudo desde a erupção do Cabulco no Chile! Por isso a chuva é tão desejada.

O Vulcao Lanin está sem atividade há 1200 anos e, por isso é considerado um "gigante dormido" ou gigante adormecido para nós! mas é imponente e estamos ansiosos para velo, assim que o clima nos permitir!

Fiz almoço, que quase era janta!  Um pene ao molho de champignon que estava com saudades de comer! E meio quilo de massa quase foi pouco!!! Nós quatro comemos tudo!

Depois fomos hibernar! Eu e o Toninho assistimos um lindo filme: Como Estrelas na Terra, filme emocionante que super recomendamos!

 

22/12 - PN Lanin Sendero El Bosque e Sendero Cascada El Saltillo

Choveu bastante toda a noite e a temperatura chegou a quatro graus! As seis horas acordei e tinha parado de chover. Fui ao banheiro e vi o céu azul pela escotilha. Eu não tive dúvidas: me encapotei toda para enfrentar o frio de quatro graus que estava fazendo, peguei a câmera e fui ver o Lanin!

Como o sol estava nascendo ele tinha uma cor toda especial, do sol refletindo no branco glacial dele! Um presente considerando as previsões de chuva para hoje.Fiquei até as sete horas, fotografando, admirando, encantada com a beleza do Lanin, Louvando a Deus por sua bela criação! Voltei e minhas mãos estavam congelando! Voltei a dormir e acordei eram nove horas!

Um café rápido e sair para fazer as caminhadas. Pretendemos fazer dois senderos hoje, o Sendero El Bosque, e o Sendero Cascada El Santillo.

Fomos fazer mais algumas fotos do Lanin, pois o Toninho ainda não o tinham visto ainda e depois fomos fazer o sendeiro El Bosque. Fomos até o Puerto Canoas de onde saem os catamarãs que fazem passeios pela região, vimos o Lago Huechulafquen, e fomos fazer a trilha da Senda El Bosque.

Retornamos e resolvemos ir em um carro até o ponto de saída da trilha para a Cascada El Saltillo, e decidimos ir no carro do Vardé e da Alici!

Paramos na Gerdameria Nacional onde tem uma bonita igreja as margens do Lago Paimun e tiramos fotos. Depois seguimos e foi uma aventura! A estrada foi estreitando e tem umas pontes mais estreitas ainda para passar!

Iniciamos a trilha as duas horas para a cascata El Saltillo, que é resultado do degelo do Lanin, e forma o Lago Paimun! Foram uma hora e quinze de caminhada, ida e volta! Hoje foi tranquilo!

Quando retornamos o Toninho veio parte do caminho a pé na frente do carro para evitar que outros carros seguissem na direção oposta pois a estrada só passa um carro e como era descida, se passassem por nós teríamos que retroceder!

Chegamos as quatro horas de volta no estacionamento  e nos recolhemos cansados, mas felizes, com os passeios do dia!

 

23/12 - PN Lanin - San Martin de Los Andes

Acordei as três da madrugada e vi que a temperatura estava em três graus e chovia e ventava muito! Pensei que era possível baixar de zero, desliguei a bomba e esvaziei os canos.

Lembrei do pessoal que estava em camping que encontramos no dia anterior, e de como deve estar frio em barraca com todo esse frio e chuva!

Voltei a dormir e levantamos as oito e trinta! A chuva tinha parado e o vento estava gelado!

Com aquele frio todo a noite, nevou nas montanhas e estava tudo branco! Saímos para ver! Que beleza!!! Logo chegaram três rapazes da Suíça, o Xavier, Lucas e Mirco, tremendo de frio, pedindo carona para a cidade! Explicamos que só poderiamos levar um, no máximo dois, pois não tínhamos bancos nem cintos de segurança. Falaram com o Vardé, que disse que os levaria até Junin.

Arrumamos tudo, carregamos água, fomos nos despedir da Florence, a simpática recepcionista do Centro de Visitantes e demos três sapatinhos de lã para ela e para seus filhos! Agradecemos a hospitalidade e ela ficou grata e feliz! Nós também!

Descemos deixando para trás o Lanin e as montanhas nevadas e eu dirigi boa parte da estrada de rípio, o que para mim já foi uma aventura!

Chegando a Junin, o Toninho foi com os rapazes tentar sacar dinheiro no banco. Eles nos disseram que já tinham tentado em todos os caixas da cidade e que temiam ter que ir a San Martin para poder sacar dinheiro, estavam dois dias sem uma refeição decente e dormindo no meio do mato por não poder pagar camping. O Toninho também  não conseguiu sacar e então resolvemos levá-los a San Martin!

Chegando fomos ao Estacionamento da Praia e o Toninho foi com eles tentar sacar dinheiro e eu fiquei fazendo almoço. Retornaram felizes para buscar as malas e ir a uma hosteria tomar banho, um bom restaurante comer e depois descansar! Interessante que os três tem vinte anos e estão fazendo um ano sabático antes de ingressar na faculdade! Já estão a seis meses viajando e pretendem ir ao Ushuaia! Tiramos fotos, nos despedimos e eles seguiram seu destino.

Nós almoçamos, e já eram mais de quatro horas da tarde. Depois eu e o Toninho saímos para caminhar pela cidade, fomos andar, ver pessoas, vitrines, observar o clima de natal, tomamos um sorvete, conversamos, passamos no mercado e retornamos ao Valente já era mais de nove horas. A temperatura já estava em onze graus e baixando. A estimativa é de chegar a menos um grau, vamos ver como será!

 

24/12 - Passo fronteiriço Mamuil Malal

Levantamos acampamento e seguimos em direcao a fronteira rumo ao Chile! O Paso fronteiriço entre Argentina e Chile é quase na base do Vulcão! E descobrimos que lado norte dele é anda mais bonito!

Chegamos a fronteira as onze e em menos de meia hora fizemos imigração aduana e a revista dos carros. Perdemos um pote de mel somente!

Ali tinha uma faliria de São José dos Campos e era e primeira vez que eles entram no Chile. O pessoal que fez a revista saiu com uma sacola enorme cheia de frutas, verduras, ovos, carne, frios... A mulher ficou chorando, uma dó... O marido revoltado dizia que era um absurdo e que nunca mais vinha ao Chile!!! Mas eles têm o controle mais acirrado em toda a América e tem seus motivos.

E o Chile nos aguarda...