Argentina - Trajeto I: Gualeguay-Chu a Confluência - 24/11 a 01/12

01/12/2015 19:50

Trajeto: Gualeguay-Chu - Mercedes - Santa Rosa - Casa del Piedra - Neuquén - Villa El Chocón - Confluência

Veja também a Galeria de Fotos

 

A passagem pela Fronteira em Fraybentos/Gualeguay-Chu foi a mais tranquila possível! Sem necessidade de sair do carro, tudo feito em um só lugar.

Fomos até Mercedes, em busca de um camping municipal, mas estava muito abandonado e pelo estado das estradas, deve ter sofrido alagamento há poucos dias, saímos da cidade e resolvemos passar a noite num Posto Ypf na Saída de Mercedes.

 

No dia seguinte, chegamos a Santa Rosa as 19h e fomos ao camping municipal onde conhecemos um casal de espanhóis, José &Rosa, que estão indo à Península Valdez ver baleia.

Depois de uma noite de chuva e vento, o dia 26 nasceu nublado e com um vento frio. Eu e a Alici resolvemos dar a volta no lago que fica em meio ao parque Don Tomás, onde ficamos acampados. Mais tarde resolvemos sair e conhecer a cidade, mas esquecemos da hora da sesta e encontramos o comércio todo fechado, inclusive a Informações Turística. Pegamos uma chuva no meio do caminho e começou a esfriar bastante. Retornamos olhados e congelados!

Saímos de Santa Rosa para ir até Neuquén, mas as paradas para fotos foram frustrando nosso objetivo final. Mas, este sempre é um bom motivo. Paramos em frente a um lago com flamingos no caminho e já preparamos o almoço! Um espetáculo!

Seguimos até Casa del Piedra, ao lado do Dique Casa de Piedra, represa do rio colorado com extensão de dez quilometros, e resolvemos parar antes de cruzarmos para tomar um café e o Toninho e o Vardé resolveram sair para caminhar e conhecer o lugar! Encontraram um camping municipal, um lugar lindo, de frente para a represa, com estrutura e grátis! Resolvemos ficar por aqui.

Ali, a beira do lago, assistimos ao pôr do sol na Pampa Argentina é lindo, e dá um show de cores, desde o amarelo até o rosa escuro!

No dia seguinte e nos outros, fomos despertados pelos loros as cinco da manhã! Uma conversa toda, por uma meia hora e silenciavam, de novo! Os dias amanhecem incríveis! Ensolarados, sem uma nuvem e com um vento maravilhoso!

Enquanto eu e Alici caminhávamos pela villa, vi um buraco com corujas, a mãe com os filhotes, e voltei para avisar ao Toninho, que pegou a máquina e só voltou com muitas fotos de todos eles! .

A tarde chegou um casal de franceses que estavam vindo da Patagônia! Ficamos conversando sobre a situação das entradas, os melhores lugares para passar e vimos  fotos deles. Tomamos café juntos assistindo ao pôr do sol.

 

No dia 30/11 seguimos entrando na Patagônia Argentina. Cruzamos a represa, que faz divisão entre o Pampa e a Patagônia. E, ao contrário da primeira vez que passamos por aqui, esta ventando menos e o nível dela está mais baixo, o que torna a travessia mais tranquila do que com o nível de água bem alto e ventando muito.Com uma paisagem linda, logo encontramos a placa de Boas-vindas a Patagônia!

E o dia foi longo, parando, tomando fotos, fomos até Neuquén onde precisávamos passar no mercado. Na estrada encontramos muitos vendedores de cerejas e não resistimos, compramos um pacote! Que saudades! Somente por aqui para comer cerejas em natura por um preço não abusivo! Pagamos no quilo o mesmo valor que pagaríamos por cem gramas no Brasil: quinze reais!

Paramos no mercado, e depois de compras feitas mediante um assalto, pelo preço absurdo, e resolvemos ir até Villa El Chocón, onde há um museu de Paleontologia e local onde foram encontradas ossadas de dinossauros. Villa El Chocón fica em uma represa e é tão bonito quanto Casa del Piedra. Como aqui não tem camping municipal, resolvemos ir até o Mirante que nos pareceu um bom lugar para dormirmos. Tomamos um café, assistimos ao pôr do sol, que mesmo em meio a nuvens foi demais!

A noite, contrariando todas as nossas expectativas, foi torturante! Começou a ventar muito de madrugada, chacoalhava o carro e fazia um barulho que nos acordava todo o tempo! A princípio ficamos ao lado do carro do Vardé e Alici, que era bem maior, mas depois o vento mudou de lado e ficou muito ruim dormir, mudamos o carro de lugar e as seis horas já estávamos todos de pé, pensando em sair dali correndo! Nem esperamos pelo café! Rimos muito depois, pois o que parecia o lugar perfeito se revelou num pesadelo.

Fomos até o Museu, que se revelou um ótimo lugar onde poderíamos ter passado a noite, estacionamos, tomamos café e aguardamos sua abertura.

A visita ao Museu é um passeio interessante pela história, com réplicas e ossadas de diversos dinossauros encontrados aqui na América do Sul, e alguns ali na região, bem como um espaço só sobre as represas na Argentina e no mundo.

Seguimos viagem parando em Piedra del Aguila, no Posto Petrobrás, onde uma cafeteria construída em pedras serve um sanduíche de Milanesa único! Tão grande que dá para duas pessoas. Uma delícia! Foi nosso almoço.

Nosso caminho, teve muitas paradas, a cada nova represa ou paisagem bonita, mesmo nublado, ou seja: chegamos à Confluência a noite. Nossa sorte é que escurece somente após as nove e meia por aqui! Encontramos perto do posto ACA, um local ás margens do Rio Limay ótimo para acamparmos e decidimos deixar o resto do caminho até Bariloche para fazer amanhã esperando um dia com sol.

Fechamos a noite com um delicioso espaguete com vinho!

E assim entramos dezembro...